nsc
nsc

Rodovias

CCR ViaCosteira começa operação da BR-101 Sul nesta sexta; saiba os primeiros trabalhos

Compartilhe

Ânderson
Por Ânderson Silva
06/08/2020 - 17h04
Trecho da BR-101 Sul, em Araranguá
Trecho da BR-101 Sul, em Araranguá (Foto: Guilherme Hahn/Especial)

A BR-101 Sul passa a ter administração de uma concessionária nesta sexta-feira (7). A CCR ViaCosteira, nome dado à subsidiária da CCR Rodovias, começará a operação da estrada no contrato de 30 anos. Serão quatro praças de pedágio entre Paulo Lopes e Passo de Torres, na divisa com o Rio Grande do Sul. A construção das estruturas está dendro do pacote de obras iniciais previstas. No período de concessão, a concessionária precisará aplicar R$ 7,4 bilhões em obras.

TCU suspende aumento do pedágio na BR-101 em SC; aditivo na obra do Contorno Viário é barrado

Os primeiros trabalhos serão recuperação do pavimento, sinalização horizontal e vertical, revitalização de obras de arte e sistemas de drenagem, roçada e coleta de lixo. A manutenção de operação de estruturas como os morros Agudo e Formigão, além da Ponte Anita Gabribaldi, passam a ser responsabilidade da CCR ViaCosteira. A empresa terá aproximadamente 350 colaboradores para os serviços de manutenção.

As praças de pedágio podem ser abertas caso todas as etapas do primeiro semestre sejam concluídas. A concessionária afirma que ainda não tem um prazo específico para a operação da cobrança. As praças vão ficar no km 298,6 (Laguna), km 344,7 (Tubarão), km 404,5 (Araranguá) e km 457,5 (São João do Sul). O preço vai partir de R$ 1,97 por pedágio, mas o valor terá uma reajustes inflacionário para o funcionamento.

Pelo contrato, com seis meses de operação começam a operar os serviços médico, mecânico e inspeção permanente de tráfego, o que vai ocorrer em fevereiro de 2021. Nesse período também serão colocados em funcionamento os canais de comunicação como o 0800 para informações e emergências.

O projeto por 30 anos prevê investimentos em torno de R$ 7,4 bilhões. Destaque para 98,3 quilômetros de faixas adicionais, 70,3 quilômetros de vias marginais e 18 passarelas. Todo o lote de 220 quilômetros serão monitorado por câmeras.

Leia também:

> Trajeto entre Porto Alegre e Florianópolis terá oito praças de pedágio

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Mais colunistas

    Mais colunistas