nsc
nsc

Análise

Dia D em SC: decisão sobre impeachment será virada de página

Compartilhe

Ânderson
Por Ânderson Silva
07/05/2021 - 06h28
Daniela Reinehr (esq.) e Carlos Moisés: quem vai governar SC?
Daniela Reinehr (esq.) e Carlos Moisés: quem vai governar SC? (Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom)

Começou em julho de 2020 a pior crise político-admnistrativa de Santa Catarina. Com o primeiro pedido de impeachment aceito pelo então presidente da Assembleia Legislativa, Julia Garcia, no final de julho, o Estado entrou em um turbilhão que envolveu dois afastamentos do cargo ao governador Carlos Moisés da Silva.

Tribunal julga impeachment do governador de SC no caso dos respiradores; acompanhe

Desse cenário, a instabilidade já intensa pela pandemia do coronavírus, agravou-se. SC saiu dos trilhos. Com o segundo impeachment aceito, em setembro, a crise aumentou. Desde outubro, foram três trocas de comando do governo catarinense.

Impeachment em SC: tendência é pela volta de Moisés, mas nenhum resultado irá surpreender

Moisés saiu em outubro, Daniela entrou. Depois Daniela saiu em novembro e Moisés voltou. Em março de 2021, Moisés saiu novamente e Daniela voltou. Agora, no dia 7 de maio, chegou o momento de SC virar a página e ter continuidade em gestão.

Lewandowski nega pedido de deputado para suspender impeachment

As cartas de Moisés

A defesa do governador Carlos Moisés da Silva montou um “kit” de documentos com pareceres favoráveis sobre a compra de respiradores. São as conclusões do TCE-SC, MP-SC, PF, MPF e STJ. Os cinco órgãos atestaram que não há envolvimento de Moisés no processo. Isso coloca uma responsabilidade ainda maior sobre os julgadores, principalmente os desembargadores, que foram unânimes pela admissibilidade da denúncia contra o governador pela omissão na compra dos respiradores. Resta saber se os magistrados vão manter os seus votos e o que pretendem alegar caso siga com o mesmo entendimento.

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Daniela em Brasília

Desde que Carlos Moisés foi afastado do cargo em março, a governadora interina de Santa Catarina, Daniela Reinehr foi três vezes à Brasília. Dá em média, quase uma vez por semana, com agendas de dois ou três dias. Daniela mostra que quis se aproveitar do trânsito no governo Bolsonaro para comprovar o alinhamento ao presidente da República e seus ministros.

Leia mais:

Tentativa de adiar votação do impeachment em SC expõe disputa entre Moisés e Daniela

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Ânderson Silva

Colunista

Ânderson Silva

Colunista da NSC Comunicação, publica diariamente informações relevantes sobre as decisões que impactam o catarinense, sem esquecer dos bastidores dos poderes. A rotina de Florianópolis em texto e imagens também está no radar da coluna.

siga Ânderson Silva

Mais colunistas

    Mais colunistas