nsc
    nsc

    Não é de agora

    Mensagem de chefe do Ministério Público sobre fechamentos em SC é de março

    Compartilhe

    Ânderson
    Por Ânderson Silva
    13/07/2020 - 06h49 - Atualizada em: 13/07/2020 - 07h52
    Mensagem circulou pelo WhatsApp neste domingo
    Mensagem circulou pelo WhatsApp neste domingo (Foto: Divulgação/MP-SC)

    Uma mensagem que circulou por grupos de WhatsApp neste domingo em Santa Catarina foi desmentida pelo Ministério Público (MP-SC). O texto assinado pelo procurador-geral do MP-SC, Fernando Comin, comunica a suposta decisão do governo do Estado por fechamentos e restrições diante do coronavírus. O conteúdo, porém, é do mês de março, quando efetivamente o governador Carlos Moisés anunciou as medidas. Por isso, a mensagem nos tempos atuais é fake, como divulgado pelo MP-SC.

    Governo prepara restrições diante do avanço do coronavírus em Santa Catarina

    Em nota de esclarecimento, o órgão afirma que a mensagem foi enviada aos membros da instituição no dia 17 de março para informá-los das ações adotadas pelo Executivo estadual naquele momento: "Ressaltamos, assim, que as informações que constam da mensagem não são atuais, foram repassadas internamente logo após a primeira reunião do Gabinete de Gestão de Crise do Governo com todos os Poderes", afirma o MP-SC.

    Em relação a restrições atuais, o governo do Estado avalia medidas a serem anunciadas nesta segunda-feira (13), segundo o colega da NTSC TV Raphael Faraco. Mas elas não devem ter a mesma dimensão daquelas colocadas em prática no mês de março. As novas regras devem envolver eventos públicos.

    O governo não descarta intervir nas regiões mais complicadas como a Foz do Rio Itajaí e a própria Grande Florianópolis. Os prefeitos devem ser chamados para conversar porque são os locais de SC que mais preocupam neste momento.

    Leia também:

    > Blumenau anuncia restrições mais pesadas após situação crítica por coronavírus

    Coronavírus em SC: números gritam por gestão da pandemia

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas