nsc
nsc

Gastronomia

Como utilizar colorau na comida

Compartilhe

Beto
Por Beto Barreiros
21/11/2020 - 07h00
A grande maioria do colorau existente no mercado, não é puro
A grande maioria do colorau existente no mercado, não é puro (Foto: Arquivo Pessoal)

Na primavera, a estação das flores, por toda a ilha de Santa Catarina, os urucunzeiros ficam repletos de flores rosas, que após se transformam em cachos de frutos espinhosos que não machucam. Depois de secos, ao abri-los, encontramos as preciosas sementes que depois de moídas se transformam no nosso colorau. A grande maioria do colorau existente no mercado, não é puro, ele é misturado com fubá para render mais e ficar mais barato.

> Banana caramelada com sorvete é um clássico das sobremesas

O colorau está presente todos os dias nas mesas, onde libera a sua cor vermelho alaranjado nos ensopados, molhos, refogados, assados e inclusive arroz. Com ele, é possível transformar um pálido filé e frango, num dourado apetitoso. Na década de 1970, o colorau foi muito utilizado em forma de óleo para bronzear a pela. A origem do seu nome é tupi. Urukun, significa vermelho, que os índios sempre utilizam para pintar a sua pela.

> Os benefícios da folha de louro na comida

O colorau deve ser adicionado sempre antes ou durante a cocção. O seu sabor suave e adocicado, ressalta os sabores de carnes, frangos e pescados de todos os tipos. O colorau também é muito utilizado para dar cor aos molhos.

Leia também:

> Saiba onde comer frutos do mar em Florianópolis

> Bife a rolê, um prato saboroso e simples de preparar

> Como fazer caldo de legumes

Beto Barreiros

Colunista

Beto Barreiros

Representante da cultura da Ilha de Santa Catarina, Beto apresenta suas receitas e dá dicas sobre produtos e tendências. Beto é o criador do famoso Box 32, no Mercado Público de Florianópolis.

siga Beto Barreiros

Beto Barreiros

Colunista

Beto Barreiros

Representante da cultura da Ilha de Santa Catarina, Beto apresenta suas receitas e dá dicas sobre produtos e tendências. Beto é o criador do famoso Box 32, no Mercado Público de Florianópolis.

siga Beto Barreiros

Mais colunistas

    Mais colunistas