nsc
nsc

Política

O que significa deputados de SC posarem com armas no aniversário do golpe de 64

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
31/03/2021 - 17h36 - Atualizada em: 31/03/2021 - 22h46
Paulinha, Eskudlark e Mauro de Nadal posaram com fuzis
Paulinha, Eskudlark e Mauro de Nadal posaram com fuzis (Foto: Reprodução, Instagram)

A entrega de viaturas e equipamentos para a Polícia Militar, comprados com recursos de emendas parlamentares da Alesc, resultou em uma sessão de fotos de deputados de Santa Catarina empunhando fuzis. 

Imagem divulgada nas redes sociais mostra os deputados Maurício Eskudlark (PL), Paulinha (PDT) e o presidente do Legislativo, Mauro de Nadal (MDB), posando com armas nas mãos. O deputado Jessé Lopes (PSL) também compartilhou foto em que segura um fuzil.

> Universidade de SC proíbe blusa sem manga e saia acima do joelho

O gesto fica mais grotesco diante do momento histórico. O registro ocorreu na mesma data em que se lamenta o golpe de 1964, que cassou sete parlamentares em Santa Catarina – Ado Faraco, Evilásio Caon, Genir Destri, Manoel Dias, Waldemar Sales e Stuart Wright, que foi preso pela ditadura militar. Até hoje, ele faz parte da lista de desaparecidos políticos no Brasil.

> A pedido de SC, Justiça terá que gravar em vídeo audiências em todo o país

Estender armas em frente à Casa Legislativa e posar para sessões de fotos, com armamento restrito, são estratégias de marketing que funcionam para animar as torcidas no ambiente belicoso das redes sociais. Mas soa desrespeitoso para com a história do Parlamento e o ambiente democrático.

> “Somos obrigados a escolher, ou vai morrer mais gente”, diz médica sobre fila da UTI

O simbolismo do ato – repetindo, de parlamentares civis empunharem armas na Casa Legislativa de Santa Catarina – remete ao momento atual do país, que vive tempos de estremecimento democrático. A pose dos deputados tirou, inclusive, o brilho de uma ação importante da Alesc, que direcionou R$ 11 milhões em recursos para equipamentos de segurança pública.

> Filha de perseguido pela ditadura, deputada de SC diz que vozes democráticas devem subir tom contra "eventual golpe"

Todo cidadão tem obrigação de conhecer a história. Para um parlamentar eleito, também é imperativo compreender contextos, cenários e gestos. Se for para posar com arma, melhor que seja com a vacina.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas