A liberação para pesca do peixe espada em Santa Catarina foi a principal pauta de uma reunião em Brasília entre a deputada estadual Paulinha (Podemos) e o ministro da Pesca e Aquicultura, André de Paula. A demanda atinge cerca de 20 mil pescadores catarinenses.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Abundante na costa catarinense, o peixe espada, que até então não tinha grande interesse econômico, passou a atrair o mercado japonês recentemente – o que pode representar um novo foco de exportação para a indústria pesqueira e uma nova fonte de renda para os pescadores artesanais.

Deputada Paulinha com o ministro da Pesca, André de Paula (foto: Divulgação)

O peixe espada pode ser capturado no Brasil apenas como fauna acompanhante da pesca do camarão, na modalidade de arrasto. Mas o setor argumenta que houve um aumento desse pescado no mar catarinense ao longo dos últimos anos – o que traz um impasse.

Balneário Camboriú terá ligação rápida com aeroporto e Beto Carrero via VLP

Continua depois da publicidade

Quando a captura da espécie supera 30% da pesca, os pescadores são obrigados a descartar todo o excedente. Caso contrário, podem ter a embarcação apreendida e pagar multa.

A pesca com esforço direcionado ao peixe espada só pode ser implementada com autorização e regramento do governo federal, o que inclui medidas de conservação da espécie como cotas de pesca, tamanhos mínimos permitidos e períodos de defeso.

-Estamos trabalhando para que isso seja feito em um curto espaço de tempo. Vamos acompanhar esse processo de perto, para que a pesca do peixe espada seja autorizada de forma sustentável – diz Paulinha.

Leia também:

Gigantes estrangeiras avaliam Porto de Itajaí para contrato temporário

Imóveis em SC valorizam até quatro vezes mais que a média nacional

Estaleiro que constrói navios bilionários da Marinha em SC é premiado

Destaques do NSC Total