nsc
nsc

Segurança

Polícia Federal ocupa Porto de Itajaí e liberta 'reféns' durante simulação; entenda

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
13/05/2021 - 15h48 - Atualizada em: 13/05/2021 - 15h52
Polícia Federal libera 'reféns' em simulado no Porto de Itajaí
Polícia Federal libera 'reféns' em simulado no Porto de Itajaí (Foto: Divulgação, Cesportos)

Policiais federais ocuparam o Porto de Itajaí nesta quarta-feira (13) para neutralizar uma tentativa de invasão em que três funcionários do terminal foram feitos reféns. As cenas eram reais, mas a ocorrência não: a emergência é parte de um exercício simulado executado pela Comissão Estadual de Segurança Pública em Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Cesportos). Foi o maior treinamento desse tipo já feito em SC, e um dos maiores do Brasil.

Policiais federais fingem ser bandidos para testar segurança em porto de SC; assista

Durante a simulação, policiais federais se passaram por criminosos que chegaram ao porto em uma embarcação, no Rio Itajaí-Açu, e tentaram içar uma bolsa com drogas para dentro de um navio. Descobertos pela Polícia Federal, eles encostaram o barco num dos berços de atracação, entraram na área restrita do porto e renderam três trabalhadores, com o objetivo de escapar.

Mudança do diretor-geral da PF causa impacto em SC

O delegado Thiago Giavarotti, coordenador da Cesportos/SC, diz que a equipe que participa do simulado não sabe qual será a ação dos “criminosos”. A negociação para liberação dos reféns levou duas horas, mas o exercício terminou com sucesso.

Giavarotti explica que o objetivo de ações como essa, que envolvem negociação, é preservar vidas e cumprir a lei. No exercício simulado, os policiais treinam para ocorrências reais e testam os protocolos de segurança do terminal. 

Os portos catarinenses já enfrentaram invasões de criminosos ligados ao tráfico internacional de drogas, mas nunca houve uma ocorrência real com reféns envolvendo esse tipo de crime. 

Polícia Federal faz processo seletivo para instrutor de tiro em Santa Catarina

Navio trancado

No entanto, uma negociação semelhante à que foi feita nesta quarta-feira pelos policiais já ocorreu na “vida real”. Foi em 2015, quando um protesto de pescadores fechou o Rio Itajaí-Açu e impediu a movimentação do navio de cruzeiro Empress, que estava atracado no porto com milhares de turistas a bordo.

A exemplo do que ocorreu no exercício, naquela situação também foi montado um gabinete de crise para negociar com os manifestantes. As conversas duraram cerca de 48 horas, período em que o navio permaneceu parado no porto.

Mobilização

A Polícia Federal informou em nota que 20 agentes participaram da operação nesta quarta-feira. Mas o número chegou ao dobro, se considerada toda a mobilização do treinamento. Participaram do simulado policiais federais lotados em Itajaí, Joinville e Florianópolis, além dos Núcleos Especiais de Polícia Marítima de Santa Catarina (Nepom) e de integrantes do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal (COT), de Brasília. Oficiais da Marinha do Brasil e equipes especializadas da Polícia Civil de SC participaram como observadores.

A Cesportos, que organizou o exercício, é coordenada pela Polícia Federal e tem integrantes da Receita Federal, Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Marinha do Brasil, autoridades portuárias e do Governo do Estado de Santa Catarina.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

Leia também:

Morte de grávidas por Covid-19 aumentou quase seis vezes em SC

Empresário de SC revela que Paulo Gustavo tinha filme pronto para gravar

SC ficará fora da corrida dos estados pela compra da vacina

Jovem de SC consegue autorização na Justiça para plantar maconha

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas