nsc
nsc

30 anos

Cocal do Sul, exemplo de emancipação que deu certo

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
26/09/2021 - 18h41 - Atualizada em: 26/09/2021 - 19h15
O casarão que abriga a prefeitura de Cocal do Sul, na avenida central da cidade
O casarão que abriga a prefeitura de Cocal do Sul, na avenida central da cidade (Foto: Prefeitura de Cocal do Sul / Divulgação)

Há exatos 30 anos, em 26 de setembro de 1991, Santa Catarina ganhava nove municípios. Passava a ter 226 prefeituras. No mesmo ano, foram outros 10 em dezembro, e, na década seguinte, chegaria a 295, o número atual alcançado em 2003. De 2019 para cá, ganhou força, em contraponto ao fomento das emancipações, uma ideia do Governo Federal de extinguir 1.217 das atuais 5.570 cidades brasileiras. É o Pacto Federativo, ainda em debate.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Dos municípios catarinenses que comemoram 30 anos de vida autônoma neste domingo (26), ao menos um tem bastante o que comemorar. Cocal do Sul, cidade vizinha a Criciúma, era um antigo distrito de Urussanga dependente quase que exclusivamente, desde os anos 70, do grupo cerâmico Eliane, instalado na localidade.

Cocal do Sul poucos anos antes da emancipação, em 1991
Cocal do Sul poucos anos antes da emancipação, em 1991
(Foto: )
Também comemoram 30 anos neste domingo: Cerro Negro (emancipada de Campo Belo do Sul) Santa Terezinha (emancipada de Itaiópolis) Passo de Torres (emancipado de São João do Sul) Monte Carlo (emancipado de Campos Novos) Sul Brasil (emancipada de Modelo) Nova Itaberaba (emancipada de Chapecó) Braço do Trombudo (emancipado de Trombudo Central) Mirim Doce (emancipado de Taió)

De fato, tudo em Cocal do Sul sempre girou em torno da Eliane. Maior empregadora, responsável por grande parte da receita do município, a empresa está na gênese da cidade. A principal escola, Colégio Maximiliano Gaidzinski, carrega o nome do fundador da cerâmica Eliane, que batizou a empresa com o nome de sua filha. Originária da antiga cerâmica Cocal, a Eliane se expandiu, ganhou o mercado nacional e tornou-se, nos anos 80, a maior fabricante mundial no segmento. Viu concorrentes crescerem mundo afora e, em 2018, envolvida em transação, teve seu controle transferido da família Gaidzinski para a norte-americana Mohawk. A negociação envolveu mais de R$ 900 milhões.

O temor da perda da Eliane logo foi descartado. A unidade de Cocal do Sul não está somente mantida mas também ganha investimentos. O que faz o prefeito Fernando de Faveri respirar aliviado. - De fato, a Eliane é a nossa grande força na geração de empregos, aquecendo direta e indiretamente a economia local - não cansa de dizer o prefeito, em primeiro mandato.

A Eliane responde, atualmente, por 60% da arrecadação de Cocal do Sul. - Eu sempre digo, acendam uma vela por dia pela Eliane aqui - diz o prefeito. - A venda da Eliane foi um bom negócio para a própria Eliane, para a família Gaidzinski mas também para Cocal do Sul, já que a Mohawk investiu R$ 200 milhões aqui no ano passado, está investindo um montante semelhante agora e só temos a ganhar - completou.

Prefeito Fernando cumprimenta o presidente da Eliane; a parceria é estreita
Prefeito Fernando cumprimenta o presidente da Eliane; a parceria é estreita
(Foto: )

> É preciso ter diploma para dirigir um serviço de água e esgoto?

Cocal não é só a Eliane

Mas Cocal do Sul buscou diversificar-se nos últimos anos. Tanto que, do acanhado distrito no entorno da Eliane, avançou para uma cidade dinâmica, acolhedora para seus 16.956 habitantes, com comércio pulsante, bons indicadores na educação e saúde e asfalto por praticamente toda a cidade.

Um dos desafios recentes de Cocal do Sul (prova de que houve crescimento com a emancipação) é com o trânsito. A avenida principal da cidade chama-se Polidoro Santigo e nada mais é que a extensão da SC-108 que liga Criciúma a Orleans e cruza o Centro de Cocal do Sul. Nesse trecho urbano, a rodovia estadual torna-se municipal. 

Na gestão passada, do então prefeito Ademir Magagnin (PP), houve uma substancial alteração no trânsito, com a estruturação de um binário. A Polidoro Santiago (onde está a prefeitura e a principal via comercial) tornou-se mão única no sentido Criciúma-Urussanga e a via oposta se dá pela rua Dr. Édson Gaidzinski.

Recentemente, o governador Carlos Moisés anunciou investimento de R$ 227 milhões na duplicação da SC-108, entre Criciúma e Urussanga, que dotará Cocal do Sul de seu sonhado Anel de Contorno Viário. Com ele, o trânsito pesado da rodovia sairá da área central. É mais um incremento que impactará a favor da Eliane em Cocal do Sul. 

Governador Moisés em Cocal do Sul, em julho, anunciando obras
Governador Moisés em Cocal do Sul, em julho, anunciando obras
(Foto: )

A Eliane também foi beneficiada, recentemente, com a continuidade das obras da SC-442, que liga a região onde está a empresa, em Cocal do Sul, com o vizinho município de Morro da Fumaça e, por consequência, cria mais um caminho em direção à BR-101. Em passagem anterior por Cocal do Sul, em maio, Moisés liberou os R$ 8 milhões que faltavam para concluir a SC-442 no distrito de Estação Cocal.

Pórtico entre Criciúma e Cocal do Sul, na SC-108
Pórtico entre Criciúma e Cocal do Sul, na SC-108
(Foto: )
Cocal do Sul em números População estimada - 16.956 habitantes Área territorial - 70,9km² Densidade demográfica - 213,13 hab/km² Escolarização - 98,8% IDHM - 0,780 Mortalidade infantil - 5,18 óbitos por mil nascidos vivos PIB per capita - R$ 39.615,60 Fonte: IBGE

Mais dos Gaidzinski para Cocal do Sul

É difícil tratar sobre Cocal do Sul e não voltar à Eliane. Citamos acima a rua Dr. Édson Gaidzinski, na qual está o Colégio Maximiliano Gaidzinski. Maximiliano, o patriarca, casou-se com Octávia Búrigo Gaidzinski e tiveram os filhos Jarvis, Edson (o nome da rua), Edna, Vicente e Eliane, a caçula que emprestou o nome à cerâmica da família.

Dos sete prefeitos da história de Cocal do Sul, dois saíram da família. O ex-deputado Jarvis Gaidzinski foi o segundo prefeito, de 1997 a 2000. Jarvis Gaidzinski Filho, neto de Maximiliano, foi o quarto prefeito, de 2005 a 2008. A última aparição dos Gaidzinski na eleição de Cocal do Sul veio em 2012. Maximiliano Gaidzinski Neto, irmão do ex-prefeito Jarvis Gaidzinski Filho, candidatou-se a vice-prefeito na chapa do MDB encabeçada por Anderson Comin que terminou em terceiro lugar na eleição vencida por Ademir Magagnin.

Os prefeitos de Cocal do Sul: Ítalo Zaccaron (PMDB) - 1993 a 1996 Jarvis Gaidzinski (PPB) - 1997 a 2000 Aldo Furlan (PFL) - 2001 a 2004 Jarvis Gaidzinski Filho (PP) - 2005 a 2008 Nilso Bortolatto (PSDB) - 2009 a 2012 Ademir Magagnin (PP) - 2013 a 2020 Fernando de Faveri (MDB) - 2021 a 2024

Um evento teste para os 30 anos

O principal evento de Cocal do Sul é a Cocalfest. A oitava edição foi realizada neste fim de semana com atrações presenciais. - Testamos os protocolos para eventos, com aval da Secretaria de Estado da Saúde - confirmou o prefeito. 

Rainha e princesas da Cocalfest, realizada neste fim de semana
Rainha e princesas da Cocalfest, realizada neste fim de semana
(Foto: )

> Festa com público para comemorar os 30 anos de Cocal do Sul

Para assinalar os 30 anos de emancipação, o prefeito levou adiante ações durante todo o mês, com inauguração de diversas obras e entregas de investimentos. No fim da tarde deste domingo (26), para assinalar o aniversário, o prefeito entregou o atendimento 24 horas na Unidade de Referência em Saúde no Centro da cidade. - Era um antigo sonho de Cocal do Sul, que agora realizamos - finalizou.

Leia também:

> PDT suspende vinda de Ciro Gomes a Santa Catarina

> Em segunda etapa do binário, Criciúma ganha primeiro viaduto

> Por que o retrato da própria miséria incomoda tanto Santa Catarina

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas