nsc
nsc

Covid-19

Em Criciúma, mais de 500 abriram mão da vacina

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
03/05/2021 - 16h27
Acélio Casagrande, secretário municipal de Saúde de Criciúma
Acélio Casagrande, secretário municipal de Saúde de Criciúma (Foto: Divulgação)

Criciúma já aplicou mais de 53 mil vacinas contra a Covid-19. No último sábado (1), a Secretaria Municipal de Saúde comemorou o recorde de movimentação diária da campanha, aplicando 5 mil doses em 12 horas de operação.

Embora esses índices positivos, há um número que inquieta: 527 moradores de Criciúma, com direito à vacina, abriram mão. 

> Veja como receber as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

Isso é de difícil compreensão para nós. São pessoas que alegam desde informações recebidas pelas redes sociais até temor com a real eficácia das vacinas Acélio Casagrande, secretário municipal de Saúde

— São pessoas que optam por não acreditar na ciência — salienta Acélio.

Quando o cidadão é convidado a tomar a vacina, por conta do controle das faixas etárias feitos pelas agentes comunitárias de saúde, e pretende abrir mão do direito, a prefeitura exige que tal postura seja formalizada. — Não podemos obrigar ninguém a tomar a vacina, infelizmente é um direito das pessoas — reforça o secretário.

> Acompanhe a evolução da vacinação em SC no Monitor da Vacina

> Vacinação da Covid em SC: locais, fases de aplicação, idades e tudo sobre

Já houve casos, porém, de arrependimentos. — Sim, populares que podiam tomar a vacina, negaram, assinaram o documento e depois voltaram atrás. Nesses casos, claro que eles perdem a preferência na fila mas conseguem o acesso à vacina. Mas mantemos o documento de renúncia anterior registrado, caso a pessoa tenha se contaminado nesse período sem o imunizante — refere Acélio.

Mais de 53 mil vacinas já foram aplicadas em Criciúma
Mais de 53 mil vacinas já foram aplicadas em Criciúma
(Foto: )

Os 170 esquecidos

Há, ainda, os casos daqueles que já tomaram a primeira dose e, no prazo determinado, não foram procurar a segunda. São cerca de 170 pessoas, somente em Criciúma, nesta situação.

— Muitos esquecem mesmo, outros perdem o cartão de vacinação, e há ainda aqueles que positivaram depois da primeira dose — informa a técnica de enfermagem e responsável pelo setor de Imunização da prefeitura de Criciúma, Kelli Barp Zanette.

Outro fator que já ocasionou alguns transtornos para os gestores da vacinação em Criciúma é a existência de muitos municípios próximos, e as relações entre os moradores das cidades. — Já tivemos casos de pessoas que tomaram a primeira dose em uma cidade vizinha e exigiram a segunda dose em Criciúma. Orientamos para que não façam isso, já que cada cidade tem esse controle exato, preciso, para não faltar para ninguém — observa Kelli. — Tomou a primeira vacina em uma cidade, deve tomar a segunda também — complementa.

As vacinas em números

Das 59.980 doses recebidas, Criciúma aplicou 53.856 vacinas Oxford/AstraZeneca e Coronavac, sendo 35.954 de primeira dose e 17.902 de segunda dose. No público-alvo de 60 anos ou mais, 93,6% dos criciumenses já foram imunizados.

> SC libera eventos e casas noturnas com novas regras até 17 de maio; leia o decreto

Os casos ativos

Nos dados atualizados pela Vigilância Epidemiológica no começo da tarde desta segunda-feira, Criciúma é a segunda cidade em número absoluto de casos ativos de Covid-19 em Santa Catarina: são 806 positivados, atrás apenas de Joinville, com 1.772 casos, e à frente de Blumenau e Florianópolis, com 794 registros ativos.

Somente nesta segunda, Criciúma contabilizou mais quatro óbitos de pacientes com Covid-19, chegando a 435 mortes pela doença desde o início da pandemia.

Leia também:

> Quatro pessoas da mesma família morrem de Covid-19 em um mês no Alto Vale

> Cirurgias eletivas em SC seguem suspensas

> Como será a ordem de vacinação para gestantes e pessoas com comorbidades em SC

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas