nsc
nsc

Serra da Rocinha

Ministro e governador sinalizam com recursos para concluir a BR-285

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
17/08/2021 - 14h49 - Atualizada em: 17/08/2021 - 15h11
Falta menos de um quilômetro de pavimentação na BR-285
Falta menos de um quilômetro de pavimentação na BR-285 (Foto: DNIT / Divulgação)

Depois de últimas semanas de incertezas, com a paralisação das obras na Serra da Rocinha, o ministro Tarcísio Gomes de Freitas e o governador Carlos Moisés sinalizaram, na audiência da Comissão de Infraestrutura do Senado na tarde desta terça-feira (17), com o encaminhamento de recursos para a conclusão da BR-285, no extremo sul catarinense.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

- Me comprometo a fazer um projeto de lei e encaminhar à Assembleia Legislativa para direcionar recursos também para a BR-285 - informou Moisés, após um comentário da deputada Ângela Amin (PP), que elencou as obras que estavam sendo debatidas com o Governo Federal, pontuando a rodovia entre Timbé do Sul e a divisa com o Rio Grande do Sul. Moisés tratava do aporte que o Governo do Estado fará para agilizar obras federais em Santa Catarina.

- Nós já programamos um reajuste de R$ 15 milhões e dependemos da aprovação de um projeto que virá para o Congresso com esse teor para liberar esses recursos - apontou o ministro. Com esse montante, mais o repasse que o Estado fará, será possível alcançar os R$ 30 milhões orçados para a finalização das obras. Faltam executar 860 metros de pavimentação da rodovia de 22 quilômetros e o mais delicado, a execução de oito pontos de encostas para evitar deslizamentos na rodovia.

Ministro Tarcísio e senador Dário Berger na audiência desta terça
Ministro Tarcísio e senador Dário Berger na audiência desta terça
(Foto: )

- Quem sabe até, colocando o pé no acelerador como sugeriu a deputada Ângela, consigamos terminar essa obra até o fim do ano - afirmou Tarcísio. Esse otimismo do ministro, porém, não é compartilhado em Timbé do Sul. - Acreditamos, pelos contatos com a construtora, que essa etapa final da obra vá requer uns 8 meses de trabalho ainda. Só se colocar equipes 24 horas trabalhando para terminar até o fim do ano, e ainda dependeremos da colaboração do clima - pondera o prefeito Roberto Biava, ao saber dos encaminhamentos em Brasília.

Atualmente, o tráfego pela BR-285 é possível em sistema de comboios monitorados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Os carros e caminhões partem de Timbé do Sul às 6h e às 18h, de segunda a sexta-feira, e descem a partir de São José dos Ausentes, no Rio Grande do Sul, às 6h30min e 18h30min. Aos sábados, domingos e feriados a rodovia é fechada. 

Boa parte da 285 está pavimentada e em condições de tráfego
Boa parte da 285 está pavimentada e em condições de tráfego
(Foto: )

O primeiro trecho pavimentado, de 8,8 quilômetros a partir de Timbé do Sul, foi liberado ao trânsito em outubro do ano passado.

Prefeito espera retomada em setembro

Mas são melhores notícias do que as colhidas recentemente. - Estive em Brasília faz poucos dias e o que ouvimos no Ministério da Infraestrutura é que houve um erro de todos. Que no ano passado, imaginando que a obra estaria pronta até dezembro, não houve adição de recursos no orçamento desse ano. Como a obra na 285 se estendeu, ficou agora esse impasse - recordou o prefeito. - Agora, com esses encaminhamentos de hoje mais o que ouvimos no ministério na semana passada, esperamos que ao menos metade dos R$ 30 milhões estejam na conta até o fim do mês, para que a obra seja retomada no começo de setembro e possa terminar até maio - projetou Biava.

Durante a sua exposição na comissão, o ministro Tarcísio referiu, em alguns momentos, o que falta ser feito na BR-285. - O contorno viário de Timbé do Sul está pronto e entregue desde o ano passado. Na Serra da Rocinha temos que fazer as contenções nas encostas, é uma obra complexa, importante e bonita, que vai criar um corredor bioceânico entre a BR-101 e o Chile - lembrou. - O trecho do Rio Grande do Sul já está contratado, serão 8 quilômetros daí a rodovia ficará toda pavimentada - emendou.

Governador assegurou inclusão da BR-285 nos aportes que o Estado fará
Governador assegurou inclusão da BR-285 nos aportes que o Estado fará
(Foto: )

Conclusão adiada várias vezes

Em julho de 2020, o ministro Tarcísio esteve em Timbé do Sul e garantiu que a BR-285 seria concluída até dezembro. Na ocasião, faltavam 5 quilômetros no trecho serrano e a obra "encontrava-se dentro do cronograma, honrando o compromisso de finalizar até o fim do ano", dizia Tarcísio, há pouco mais de 1 ano. Em março último, nas redes sociais, o ministro projetou inauguração no meio do ano. 

Previsão do ministro compartilhada em março
Previsão do ministro compartilhada em março
(Foto: )

Mais adiante, em uma conversa com a governadora interina Daniela Reinehr, a expectativa era de conclusão no segundo semestre. Em maio, dialogando com o Fórum Parlamentar Catarinense, Tarcísio reforçou que a continuidade das obras estava garantida com finalização ainda em 2021 e que, de pronto, resolveria com a empreiteira para que os trabalhos não fosse interrompidos. Porém, cerca de dois meses depois, por falta de recursos, a obra parou.

> "Vamos arrumar uma solução", aponta ministro sobre a BR-285, no Sul de SC

Em se confirmando a previsão do prefeito Roberto Biava com o aval da construtora, serão oito a nove meses de trabalho a partir da retomada plena, o que deve acontecer no começo de setembro. Logo, a conclusão poderá ocorrer entre abril e maio de 2022. A aguardar.

Atualmente a passagem pela rodovia é feita por comboios
Atualmente a passagem pela rodovia é feita por comboios
(Foto: )

Outro problema: a iluminação

Como a prioridade absoluta é a garantia de recursos para concluir a BR-285, nem está tão em realce outro problema sério que vem aí: a iluminação da rodovia. O prefeito Roberto Biava advertiu, em entrevista à coluna no começo de agosto, que o projeto da rodovia prevê iluminar o trecho serrano mas aponta, também, que o custeio da manutenção de R$ 15 mil mensais, caberá ao município.

- Já reafirmamos que não temos como pagar essa conta. Timbé do Sul é um município pobre e não tenho como tirar R$ 15 mil da educação e da saúde, todo mês, para iluminar a estrada - advertiu.

Biava apresentou duas alternativas ao DNIT. - Ou instalaram um projeto eólico, que custa R$ 5 milhões, ou o de placas solares, que é mais viável, de R$ 2 milhões. Buscamos o apoio do Governo do Estado para isso e continuaremos nessa briga - finalizou.

Deslizamento em junho, na BR-285, confirmando a necessidade de obras nas encostas
Deslizamento em junho, na BR-285, confirmando a necessidade de obras nas encostas
(Foto: )

Leia também:

> Com 30 mil habitantes, cidade do extremo Sul tem 1 caso ativo de Covid

> ZPE em Imbituba: Estado e prefeitura otimistas, comunidade desconfiada

> Porto de Imbituba cresce 10% em cargas e prevê impulso com a BR-285

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas