nsc
nsc

Investigação

Panfletos apocalípticos intrigam moradores de Orleans e polícia busca autores

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
13/05/2021 - 10h10 - Atualizada em: 13/05/2021 - 15h14
Um dos folhetos distribuídos em Orleans na segunda-feira
Um dos folhetos distribuídos em Orleans na segunda-feira (Foto: Daniel Librelato / Divulgação)

Desde que a polícia atendeu um chamado na segunda-feira alertando sobre a distribuição de panfletos prevendo o apocalipse no centro da cidade não se fala em outra coisa em Orleans, de 23 mil habitantes distante 35 quilômetros de Criciúma. Mesmo nos comentários não há suspeitos de quem possa ter elaborado e distribuído os folhetos, mas a polícia segue investigando. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Por volta das 20h da última segunda-feira (10), o telefone 190 da Polícia Militar em Orleans, no sul catarinense, tocou. Era um homem informando panfletos anunciando o apocalipse tinham sido colocados em para-brisas de dezenas de veículos estacionados na área central. De pronto, dois policiais militares deslocaram-se até os arredores da Igreja Matriz Santa Otília, no Centro da cidade, onde houve a distribuição dos panfletos. O caso está sob investigação pela Polícia Civil de Orleans.

Um fato é certo: a população está ciente de que massificar tais conteúdos configura um crime. 

— Se houvesse flagrante, seria lavrado um termo circunstanciado. Haveria um processo por contravenção penal que sujeitaria o autor a pena de reclusão por 15 dias a 6 meses mais cobrança de multa por provocar tumulto e anunciar perigo que não existe — conclui o tenente Henrique Arent, comandante da PM em Orleans.

O tenente explica o que foi feito na segunda à noite: 

— Fomos ao local, fizemos o flagrante, recolhemos cerca de 40 panfletos. Conforme testemunhas, houve motoristas que recolheram esses panfletos e levaram. Ou seja, alguns deles estão circulando pela região. 

A equipe do delegado Fernando Guzzi está verificando as imagens das câmeras de segurança da área central. Ainda não há suspeitos identificados, mas já se sabe o horário aproximado da distribuição dos panfletos, o que vem auxiliando na análise.

Outra versão do panfleto distribuído na cidade
Outra versão do panfleto distribuído na cidade
(Foto: )

Relembre o caso

Os panfletos chamam a atenção para "o projeto do anticristo" que estaria revestido de um avanço tecnológico, que seria a implantação, nas pessoas, de microchips para reunir informações de documentos e contas bancárias. "Só vai aceitar a marca da besta aquele que quiser ou for seduzido pelas propagandas do projeto que serão muitas", diz o folheto.

Versículos bíblicos são utilizados nos dois modelos de panfletos distribuídos por Orleans, e ambos mencionam ameaças relacionadas a um suposto "Governo do anticristo" que estaria a caminho.

Há um segundo panfleto que levanta a questão "O que é o sinal da besta??? Porque o número é 666???", cujo texto insiste na questão dos microchips e aconselha que as pessoas devem "viver como indigente", lembrando que esta será uma situação passageira da humanidade.

Leia também:

> SC vai receber mais de 150 mil doses da vacina contra Covid-19 nesta quinta

> SC está em alerta para nova onda na pandemia de Covid-19, diz secretário

> Eficácia da fiscalização é a opção de Moisés no combate à pandemia em SC

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas