Com ampla agenda voltada a investimentos para preservação ambiental, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), participa da 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP28), promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU). O evento abriu nesta quinta-feira e vai até o dia 12 deste mês, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Nesta sexta-feira, o banco assinou o Protocolo de Intenções Floresta Viva, projeto do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para a recuperação da natureza em biomas brasileiros. E no domingo, assina adesão aos Princípios para Responsabilidade Bancária do Programa de Meio Ambiente da ONU – UNEP FI.
O programa Floresta Viva do BNDES prevê investimentos de R$ 500 milhões da instituição nos próximos sete anos, sendo 50% de recursos do banco e 50% do setor privado. A ênfase será na restauração de corredores ecológicos e recuperação de bacias hidrográficas.

O documento foi assinado pelo presidente do BRDE, João Paulo Kleinübing e o presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, que participam da COP com uma série de agendas voltadas ao financiamento de projetos voltados à preservação ambiental.  

– A adesão do BRDE ao Floresta Viva constitui-se num instrumento de fomento de ações de restauração ecológica, contribuindo para a preservação do meio ambiente e para a mitigação das mudanças climáticas. Este matchfunding permite que recursos do BNDES e do BRDE possam ser somados a recursos privados para intervenções de recuperação ambiental. Além disso, a participação em iniciativas como essa reforça a nossa atuação para promover a sustentabilidade nas operações realizadas – explica Kleinübing.

Continua depois da publicidade

Conforme o presidente do BRDE, o Floresta Viva está alinhado com o Programa de  Recuperação Ambiental Rural do governo de Santa Catarina, para melhorar a qualidade do meio ambiente nas propriedades rurais do Estado. A meta desse programa é regularizar ambientalmente 100% das pequenas propriedades rurais catarinenses em quatro anos.

Na agenda de Kleinübing estão, também, reuniões com instituições financeiras globais como o Banco Europeu de Investimento (BEI), o KfW (Banco da Alemanha), o Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (AIIB), e a JICA – Agência do Governo Japonês que é antiga parceira de Santa Catarina em projetos de saneamento e preservação de enchentes.

O presidente do BRDE também será palestrante no painel “Ação climática e mobilização do setor privado por meio das empresas públicas”, promovido pela Agência Multilateral de Garantia de Investimentos (MIGA) do Grupo Banco Mundial (GBM).

Kleinübing também participará do painel “Papel dos estados brasileiros para o alcance das metas climáticas globais” organizado pela Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (ABEMA) e pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP).

Continua depois da publicidade

Leia também

Banco da Família faz acordo com instituição da Europa para financiar economia verde

Associação Empresarial de Joinville pede derrubada do veto de Lula à desoneração da folha

Como Santa Catarina participa da COP28 sobre mudanças climáticas em Dubai

SC une bancos e cooperativas para fornecer crédito a empresas afetadas por chuvas

Pacote da Celesc inclui gestão e estudo sobre potencial energético de barragens de contenção

Quase 400 mil pequenas empresas afetadas por chuvas precisam de crédito, alerta o Sebrae SC

Publicidade

Além de muita informação relevante, o NSC Total e os outros veículos líderes de audiência da NSC são uma excelente ferramenta de comunicação para as marcas que querem crescer e conquistar mais clientes. Acompanhe as novidades e saiba como alavancar as suas vendas em Negócios SC

Destaques do NSC Total