nsc
nsc

Negócios no Mercosul

Com exportações em alta para SC, Argentina amplia parcerias

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
11/05/2022 - 05h57
Embaixador da Argentina, Daniel Scioli, em reunião da criação da câmara no Hotel Majestic, em Florianópolis
Embaixador da Argentina, Daniel Scioli, em reunião da criação da câmara no Hotel Majestic, em Florianópolis (Foto: Estela Benetti)

Reduto de praias preferido dos argentinos, Santa Catarina começa a chamar a atenção das autoridades do país vizinho por outros setores econômicos além do turismo. As exportações dos hermanos para SC no período de janeiro a março deste ano tiveram um salto de 60,9% frente ao mesmo período de 2021, quando recuaram 15%. Atento a isso, o embaixador do país no Brasil, ex-vice-presidente Daniel Scioli, esteve em Florianópolis nesta terça-feira para abrir mais portas a negócios, acompanhando uma missão comercial. SC é o terceiro maior mercado da Argentina no Brasil, só atrás de São Paulo e Rio Grande do Sul. 

Receba notícias do DC via Telegram

Scioli participou da inauguração da Câmara de Comércio Argentino-Brasileira (Camarbra) em Santa Catarina ao lado de diplomatas do país e do cônsul argentino no Estado, Federico Eugênio Costa. O evento foi na tarde desta terça-feira, no Hotel Majestic, em Florianópolis. Para facilitar a aproximação com o setor econômico, a Camarbra em SC terá como diretor o empresário Rodrigo Prisco Paraíso.

Daniel Scioli também assinou acordo de cooperação com a Associação Catarinense de Supermercados (Acats), que foi representada pelo presidente Francisco Crestani e o presidente do conselho deliberativo, Paulo Cesar Lopes. Ficou motivado ao saber de Crestani que o Estado tem perto de 10 mil supermercados, é um setor que representa muito os produtos alimentícios argentinos.

Paulo Cesar Lopes e Francisco Crestani, da Acats, em reunião com o embaixador Scioli (terceiro à dir.)
Paulo Cesar Lopes (E) e Francisco Crestani, da Acats, em reunião com o embaixador Scioli (terceiro à dir.) e diplomatas argentinos
(Foto: )

Paulo Cesar Lopes informou que existem muitas oportunidades para alimentos do exterior nos supermercados, destacando que na rede própria, importa mais vinhos e queijos. Outro acordo assinado por Scioli foi com a trader Brasil Mundi, com o objetivo de ampliar a importação de produtos argentinos no mercado catarinense e também no Brasil. A empresa ofereceu desconto de 25% nos custos de serviços para facilitar os negócios com o país.

- Depois do golpe da pandemia, nosso país necessita recuperar a economia, recuperar o emprego, o desenvolvimento e lutar contra a inflação. A inflação é um fenômeno mundial, é um problema na Argentina, no Brasil. Se aumenta a oferta de produtos é possível baixar preços – disse Scioli.

Ele disse que a economia argentina está em recuperação e as exportações para Santa Catarina avançaram em diversos setores, em especial automóveis e alimentos.

Levantamento da Federação das Indústrias de SC (Fiesc) apurou que em 2021, SC importou da Argentina US$ 1,4 bilhão e exportou US$ 574,34 bilhões, com déficit de US$ 838,27 milhões. Nos primeiros quatro meses deste ano, as importações somaram US$ 373,62 milhões e as exportações, US$ 177,17 milhões, com déficit de US$ 196,45 milhões.

A principal razão da aceleração das vendas da Argentina ao Brasil é a exportação de automóveis, que avançaram porque a Ford fechou fábrica no país e optou por importar da unidade argentina. Depois, destacam-se também polímeros de etileno e alimentos em conserva.

Leia também

FIN Brasil Forum reúne empresários de 16 países em Florianópolis

JBS investe R$ 308 milhões em centro de proteína de laboratório em Florianópolis

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas