nsc
    nsc

    Moda infantil

    Empresa de SC aposta em moda, proteção e vendas à África

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    20/09/2020 - 09h00
    Kyly, de Pomerode
    Kyly, de Pomerode
    (Foto: )

    A Kyly, de Pomerode, uma das empresas de moda infantil de Santa Catarina, aproveita para incentivar as crianças a se protegerem da pandemia oferecendo looks (foto) com máscaras iguais para meninas e meninos. Essa é uma das linhas que a empresa também exporta para países africanos com as marcas Kyly e Milon. A propósito, o potencial do mercado da África para o setor têxtil foi tema de evento virtual da Fiesc, na última quarta-feira (16), numa iniciativa do vice-presidente Ulrich Kuhn e da presidente da Câmara de Comércio Exterior, Maitê Bustamante.

    O diretor comercial da Kyly, Claudinei Martins, disse que a empresa exporta para 29 países e os mercados na África são a Angola e o Egito. O diretor comercial da Buddemeyer, Rafael Buddemeyer, afirmou que as vendas à África são mais para o setor de hotelaria e a programação de TV brasileira exibida lá ajuda na venda de têxteis.

    > Vendas de imóveis aceleram na pandemia e aquecem setor de construção

    Nanotecnologia e Covid-19

    A pandemia está acelerando o lançamento de produtos que combatem o novo coronavírus. A empresa About You, de Joinville, lançou o Nano Protect, um antivírus que pode ser usado numa série de produtos. Em álcool gel, a durabilidade do efeito é de até quatro horas. A Termotécnica, também de Joinville, lançou a linha de embalagens de EPS (Isopor) Safe Pack que, com nanotecnologia desenvolvida pela TNS, de Florianópolis. A tecnologia combate até 99% ou mais vírus e bactérias. Isso impede a propagação do novo coronavírus a partir das embalagens. A WEG Tintas também lançou tinta com antivirais que combatem 99% dos vírus, inclusive os da família corona.

    > Eventos virtuais difundem conhecimento para a área econômica

    Arroz e feijão

    A Epagri, empresa de pesquisa agrícola de SC divulgou a previsão da safra de grãos, de 2020/2021. A produção de feijão deverá crescer 15,36% e alcançar 72 mil toneladas. A de arroz deverá chegar a 1,202 milhão de toneladas, com produtividade um pouco abaixo da safra anterior, que teve um salto impressionante de 13%. A produção de soja deverá aumentar 7% e o milho, 12%. Os bons preços vão ajudar nas decisões de produzir mais, o que pode colaborar para preços mais baixos ao consumidor e para a alimentação animal.

    > Projeto de mobilidade da Grande Florianópolis é apresentado em evento internacional

    Floripa, a mais rápida

    O Ministério da Economia divulgou o Mapa de Empresas, nova publicação que indica a facilidade para abrir empresas no Brasil. No último quadrimestre deste ano, em média, foi possível abrir empresa no país em dois dias e 21 horas, um dia a menos frente ao quadrimestre anterior. Florianópolis foi a capital mais rápida, com tempo médio de cinco horas, seguida por Goiânia, 20 horas. O superintendente de Assuntos Internacionais da prefeitura da Capital, Piter Santana, diz que isso foi possível com uma série de ações reunidas no programa Floripa Simples.

    Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas