Voltada à logística do futuro, totalmente elétrica, para o mercado brasileiro, a empresa Fever foi inaugurada nesta terça-feira, em Florianópolis. Na solenidade, que reuniu lideranças de Santa Catarina, o parceiro chinês fabricante dos triciclos RAP Sev e autoridades, os sócios da Fever Nelson Füchter Filho e Jacinto Silveira revelaram que as vendas já acontecem de forma acelerada em diversos estados.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Com foco no transporte de carga de última milha, aquele de entrega nas cidades ou dentro de empresas e propriedades rurais, a Fever (que significa febre em inglês), estreia no mercado nacional com dois veículos, os triciclos RAP fabricados por montadora chinesa, e o caminhão de pequeno porte Alkè, fabricados por empresa na Itália.

A solenidade de inaguração contou com a presença do fundador e CEO da RAP, o empresário chinês Peter Wang, o diretor de exportações da empresa, Abel Huang e o gerente de pesquisa e desenvolvimento, Feng Liang. Lideranças das 12 concessionárias da empresa em todo o Brasil também acompanharam a inauguração.

Entre as autoridades, estavam o secretário de Estado da Casa Civil, Estêner Soratto, que representou o governador Jorginho Mello; o secretário de Desenvolvimento da prefeitura de Florianópolis, Juliano Richter Pires, representante do prefeito Topázio Neto; o presidente da Federação das Indústrias de Santa Cataria (Fiesc), Mario Cezar de Aguiar; o presidente da Fenabrave-SC, Alfredo Breitkopf; e a vice-presidente da Associação Empresarial de Florianópolis (Acif), Solange Borguesan.  

Continua depois da publicidade

– Estamos inaugurando a empresa hoje com  negócios encaminhados. O Jacinto Silveira, meu sócio, acabou de fechar uma grande venda: um pedido de 75 veículos RAP para fazer entregas nas regiões Sul e Sudeste, para uma empresa de café premium – destaca Nelson Füchter.

Segundo ele, o primeiro contrato de venda da Fever foi para um grande parceiro da empresa, a Vai Fácil, que fornece serviços para os grandes players de e-commerce no Sudeste. Eles compraram dois veículos refrigerados da RAP para o transporte de alimentos. Em Santa Catarina, Füchter destaca que o concessionário é o Grupo Breitkopf, que recebeu encomenda de um  grande supermercado estadual. Outros clientes também fizeram pedidos.

Conforme Füchter, as vendas de caminhões Alkè ainda não estão acontecendo porque a Fever não tem unidades no Brasil. Em função da enchente em SC, o movimento portuário de Santa Catarina está com cerca de um mês de atraso e uma das cargas atrasadas é a de veículos Alkè, que entrarão pelo Porto de Navegantes no começo de novembro.

– Tem um espaço entre a moticicleta e o veículo que não é ocupado. Nosso objetivo é oferecer um produto diferente, que não compete com outros no mercado, para que a gente consiga surfar essa onda e trazer soluções para esse mercado. O nosso início é com o triciclo. Como nosso negócio é solução de logística com mobilidade elétrica, podemos ter veículos de três rodas, quatro rodas. Talvez um dia voe, talvez navegue, mas o importante é que sejam elétricos e tragam essas soluções.

Continua depois da publicidade

Jacinto Silveira vê potencial grande no Brasil para logística verde eletrificada. A Fever é representante exclusiva no Brasil da RAP e do veículo Alkè. Mas no ano que vem pode incluir mais um veículo à venda e, em cerca de dois anos, a RAP pode ter uma montadora em SC.

Ao falar em nome da montadora de triciclos RAP, o diretor de exportações da empresa, Abel Huang, disse que a empresa iniciou vendas em 2019. O projeto focou logística rápida em cidades como diferencial, e começou no mercado internacional, principalmente na Europa. Apesar de o Brasil ter poucos veículos elétricos ainda, eles acreditam que é um mercado que vai se acelerar em breve.

Além da venda de veículos, a Fever oferecer seus 100% elétricos para locação, de acordo com a demanda logística. Essa locação conta com serviço digital para entregas, com sistema que fornece todas informações sobre a eficiência do veículo e sua estrutura logística.

– O Nelson e o Jacinto têm o DNA do empreendedor catarinense. Essa é uma proposta desafiadora, mas está muito bem embasada. Certamente, trará muito sucesso aos dois e também para Santa Catarina. Essa questão da mobilidade elétrica é muito importante. Se fala muito em descarbonização do Planeta. Temos cidades com problemas de mobilidade e essa proposta vem de encontro a essa necessidade – afirmou o presidente da Fiesc.

Continua depois da publicidade

Aguiar disse que também é sócio de montadora, a TAC, a Tecnologia Automotiva Catarinense, hoje com unidade no Nordeste. Segundo ele, essa empresa poderá buscar uma solução de mobilidade elétrica. Aguiar também colocou à disposição da Fever e suas montadoras parceiras a estrutura industrial do Senai Santa Catarina, com centros de inovação e laboratórios modernos para atender eventual demanda.

Publicidade

Além de muita informação relevante, o NSC Total e os outros veículos líderes de audiência da NSC são uma excelente ferramenta de comunicação para as marcas que querem crescer e conquistar mais clientes. Acompanhe as novidades e saiba como alavancar as suas vendas em Negócios SC

Leia também:

Por que a eleição da Argentina é importante para a economia de Santa Catarina

Sergio Massa e Javier Milei disputarão 2º turno na Argentina

Pacote econômico de SC a empresas afetadas por chuvas prevê R$ 300 milhões em crédito novo

Como multinacional gaúcha fundada por catarinenses investe e inova em SC

Sebrae Nacional e Sebrae SC definem crédito especial a negócios afetados por chuvas

Celesc vai emitir R$ 800 milhões em debêntures no próximo mês

Destaques do NSC Total