nsc
nsc

Gestão privada

Grupo de SC integra consórcio que investe R$ 417 milhões em parques de SP

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
18/09/2021 - 18h12 - Atualizada em: 18/09/2021 - 18h17
Os sócios do Consórcio Reserva Paulista que assume a gestão de parques na cidade de São Paulo
Os sócios do Consórcio Reserva Paulista que assume a gestão de parques na cidade de São Paulo (Foto: Divulgação)

O Grupo Oceanic, de Santa Catarina, dono do Oceanic Aquarium, de Balneário Camboriú e outras atrações, inicia novo desafio no setor de entretenimento e educação. Integra o Consórcio Reserva Paulista, que assumiu nessa sexta-feira a gestão compartilhada dos parques Zoológico (Zoo), Jardim Botânico e Zoo Safari na cidade de São Paulo, que juntos formam o complexo do Parque Estadual Fontes do Ipiranga. O empresário Cristiano Buerger Filho, o Kiko, CEO do Grupo Oceanic e sócio do consórcio, informa que serão investidos R$ 417 milhões em melhoria de infraestrutura para elevar a visitação dos parques do complexo e colocá-lo entre os cinco melhores do mundo.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Nesta primeira fase, durante quatro meses, a gestão será compartilhada com a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, a Fundação Parque Zoológico e o Instituto de Botânica. Depois, o Reserva Paulista assumirá toda a gestão dos parques e da Fazenda Zoo São Paulo, em Sorocaba, pelo período de 30 anos. A área total soma cerca de 1 milhão de metros quadrados.

O leilão, do qual o consórcio foi o vencedor, aconteceu na B3 em fevereiro. O plano de concessão prevê a integração dos parques, modernização da infraestrutura, serviços educacionais, ambientais e científicos, além de aprimoramento do atendimento ao público, incluindo venda antecipada de ingressos e atividades especiais. Do total de investimentos, R$ 320 milhões devem ser executados nos cinco primeiros anos.

Bolsonaro quer conceder praias e ilhas de SC à iniciativa privada; Florianópolis está na lista

O grupo de SC tem como sócios no Consórcio Reserva Paulista também a empresa LivePark, do empresário Rogério Dezembro (sócia do DC Set Group), e mais quatro empresas dos setores de engenharia e construção: Turita, Era Técnica, Egypt e Pavienge. Além de Kiko Buerger, são sócios do Grupo Oceanic o pai dele, Cristiano Buerger, e os empresários Wisam Kamel Ayache, José Eduardo Nahas e Dênis Lunelli.

Kiko Buerger, CEO do Grupo Oceanic, fala sobre a gestão dos parques em SP
Kiko Buerger, CEO do Grupo Oceanic, de Santa Catarina
(Foto: )

A decisão do grupo catarinense de ingressar na gestão de zoológicos e jardim botânico exigiu muitos estudos e análises, que começaram quando o governador de São Paulo, João Dória, anunciou que promoveria a licitação dos parques para adotar gestão privada, revela Kiko Buerger. Ele admite que a experiência no cuidado com animais adquirida com a implantação do Oceanic Aquarium teve influência na decisão de apresentar a proposta, que acabou vencedora.

No setor de entretenimento

Os Buerger decidiram investir no setor de entretenimento por acaso, mas por influência da família de Blumenau. Os avós de Kiko eram sócio das concessionárias Dicave, de caminhões e ônibus e de empresas de transportes de passageiros. O avô, Lourival Fiedler, adquiriu a Catarinense Transportes em 1969 e vendeu em 1995 para o grupo JCA. Ao frequentar a casa do avô em Gramado e acompanhar investimentos turísticos da família por lá – o Museu de Carros Antigos e o Museu de Cera – decidiu investir em atrações turísticas em Balneário Camboriú.

- Meu avô tem concessionária em Itajaí. Eu vim trabalhar com ele e passei a morar em Balneário Camboriú. Vi que a cidade, há quatro anos, tinha quatro atrações turísticas enquanto Gramado tinha 40. Aí a gente começou a fazer projetos para trazer entretenimento para Balneário – explica Kiko Buerger.

Além do Oceanic Aquarium, o grupo tem na cidade o Museu Classic Car (de carros antigos) e a Pizzaria Pirata. No espaço desse restaurante será instalada nova atração até o final do ano, denominada Aventura Pirata. E um projeto maior está em andamento. O grupo vai investir R$ 35 milhões em um Mini World, um mundo miniatura indoor, em três andares, ao lado do Aquarium, que vai gerar 50 empregos diretos e terá foco em educação.

Segundo o empresário, a retomada de visitação após a parada da pandemia está elevada. O Aquarium tem recebido uma média de 50 mil visitantes por mês e a expectativa é de que a visitação no verão será ainda maior. Isso porque as reservas já estão grandes para a temporada.

Kiko Buerger estima que o litoral de SC terá movimento intenso no verão porque boa parte dos 12 milhões de brasileiros que costumavam viajavam anualmente ao exterior vão escolher destinos nacionais. Além disso, nos últimos anos, os equipamentos turísticos no Brasil melhoraram, o que indica que esse público seguirá visitando mais o país, inclusive em outros períodos do ano, favorecido pelo trabalho e educação híbridos.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas