nsc
nsc

Turismo

Bolsonaro quer conceder praias e ilhas de SC à iniciativa privada; Florianópolis está na lista

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
09/05/2021 - 09h27
Ilha do Campeche, em Florianópolis, pode entrar na lista de concessões
Ilha do Campeche, em Florianópolis, pode entrar na lista de concessões (Foto: Ricardo Junior, Arquivo Pessoal)

O governo federal se prepara para iniciar um programa de vendas de imóveis públicos em destinos turísticos brasileiros. Além dos bens, a proposta inclui conceder ativos inalienáveis à iniciativa privada, como ilhas, espelho d´água e faixa de areia para instalação de infraestruturas. Florianópolis está na lista de prioridades, junto com Angra dos Reis (RJ), Maragogi (AL) e Cairu (BA).

> Santa Catarina liberou eventos sem rastreio nem selo de segurança

O objetivo do projeto, chamado ‘Praias do Brasil’, é estimular especialmente o investimento de grandes grupos hoteleiros. Segundo a Folha de S. Paulo, fala-se internamente em transformar as regiões em versões nacionais de Cancún, destino turístico no México onde abundam os resorts internacionais.

> Pandemia agrava superlotação na Ilha do Campeche

O projeto é tocado pelo Ministério da Economia, em parceria com o Ministério do Turismo e o Ministério do Meio Ambiente. A previsão do governo Bolsonaro é fazer as concessões no primeiro semestre de 2022.

Para Florianópolis, estão previstas ‘concessões em ilhas’ e ‘cessão onerosa de espelhos d´água para construir píeres e marinas’, segundo apuração da Folha. A segunda parte dessa proposta poderia atender à expectativa da Capital por viabilizar a chegada de cruzeiros - a autorização para instalação de píeres deve agilizar a inclusão de Florianópolis na rota dos transatlânticos.

> Turismo rural da serra de SC teve melhor desempenho na pandemia; entenda

Quanto às ilhas, ainda não está claro que tipo de concessão o governo poderia fazer. Entre as ilhas que têm gestão federal na Capital estão, por exemplo, a Ilha do Campeche, com um importante sítio arqueológico, ou Ratones, onde há uma fortificação militar.

> O que esperar das restrições em SC após retorno de Moisés e André Motta

O governo também pode estar de olho em outras ilhas próximas, como Anhatomirim, em Governador Celso Ramos – também área de fortificação militar – ou na Ilha do Arvoredo, que pode ser ‘desqualificada’ de reserva ambiental para parque por projeto de lei, o que permitiria exploração turística do ambiente, hoje intocado.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

Leia também:

Com fim do impeachment, está na hora de Moisés governar

Voto da esquerda livrou Moisés do impeachment

Carla Zambelli divulga telefone pessoal de deputados de SC para pressionar pelo impeachment

Em ataque a creche de SC, professoras trancaram crianças na sala de aula para evitar mais mortes

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas