nsc
nsc

Opinião

Com fim do impeachment, está na hora de Moisés governar

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
07/05/2021 - 17h42 - Atualizada em: 07/05/2021 - 18h05
Governador Carlos Moisés assina notificação que informa resultado do impeachment
Governador Carlos Moisés assina notificação que informa resultado do impeachment (Foto: Divulgação)

Santa Catarina vive sob instabilidade política há dez meses. Desde julho do ano passado, quando o primeiro processo de impeachment contra o governador foi aberto pela Alesc, todos os movimentos de Moisés e Daniela, que se alternaram no poder, tiveram como objetivo final fincar raízes no Governo do Estado.

> Voto da esquerda livrou Moisés do impeachment

Foi essa expetativa que moveu nomeações e exonerações, alianças e ações de governo – inclusive, e especialmente, as ações de combate à pandemia. A rigor, foi o impeachment que governou Santa Catarina durante quase um ano.

O vaivém de governadores – foram quatro substituições entre Moisés e Daniela em sete meses – alterou também a gestão das secretarias e órgãos de governo, atrasou a tramitação de projetos e mudou o rumo das prioridades.

> Carla Zambelli divulga telefone pessoal de deputados de SC para pressionar pelo impeachment

Findo o processo, arquivado pelo Tribunal de Julgamento, Moisés tem trabalho a fazer. O Estado necessita de segurança jurídica e previsibilidade na gestão da pandemia. Precisa de auxílio emergencial para ajudar as famílias mais pobres a enfrentarem a crise econômica - enquanto outros governos estaduais encamparam iniciativas, SC demorou a colocar o assunto na pauta de discussão e só o fez às vésperas do impeachment.

Há cobranças a serem feitas ao governo federal, que enxugou o já minguado orçamento de Santa Catarina – um dos estados que mais colaboram com a arrecadação federal. Enquanto discutimos impeachment, perdemos uma pista de aeroporto para o Paraná, perdemos verbas para as obras nas rodovias, perdemos investimentos em saúde e educação.

> Justiça nega segundo pedido de deputado para suspender impeachment

Há discussões com setores econômicos afetadas pela descontinuidade, e que precisam ser retomadas a despeito de quem iniciou a conversa. O Estado precisa andar.

É fato que Santa Catarina teria sofrido menos traumas se governador e vice, eleitos juntos, não tivessem trocado o papel de aliados pelo de adversários políticos. Com o retorno definitivo de Moisés, é urgente que as disputas internas deixem de afetar o governo. Pelo bem de Santa Catarina, o governador precisa governar.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

Leia também:

> Conselho do MP admite que defesa de Moisés não teve acesso ao inquérito dos respiradores

Em ataque a creche de SC, professoras trancaram crianças na sala de aula para evitar mais mortes

​Morte de Paulo Gustavo: O Brasil perdeu a graça

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas