nsc
nsc

Opinião

Morte de Paulo Gustavo: O Brasil perdeu a graça

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
05/05/2021 - 07h28
Paulo Gustavo no cinema em Balneário Camboriú
Paulo Gustavo no cinema em Balneário Camboriú (Foto: Jackie Rosa, Divulgação)

A morte de Paulo Gustavo, jovem, cheio de vida e pai de dois bebês, resume o roteiro de um país que perdeu a graça. Que trocou a alegria por um luto sem fim. A Covid-19 já matou mais de 411 mil brasileiros. Só ontem, 117 catarinenses se foram.

O Brasil perdeu a alegria e o respeito nas baladinhas, nas aglomerações desnecessárias, na politização estúpida de uma doença que mata. A simpatia e a gentileza brasileiras, tão cantadas em verso e prosa, viraram pó diante da recusa de alguns ‘cidadãos’ em usar uma simples máscara no rosto. Em fazer o mínimo.

> No início da pandemia, Paulo Gustavo já temia contaminação por Covid-19: “Tenho medo de pegar isso e morrer”

A cada amigo ou conhecido que se vai, anônimo ou famoso, fica o sentimento de mais uma perda evitável. E se tivéssemos vacinado mais rápido? E se tivéssemos conseguido reduzir a proliferação do vírus, ele ou ela estaria ainda aqui conosco?

O belo ofício de Paulo Gustavo, da arte e do riso, é nosso alento em meio a uma pandemia que multiplica perdas, há mais de um ano. Quando uma estrela capaz de divertir em meio à dor se apaga, essa frágil chama de alegria também se vai.

> Entenda a embolia que levou Paulo Gustavo a estado terminal

A colunista do O Globo, Patrícia Kogut, escreveu que o ator era um ‘parente’ querido de todos os brasileiros. Seus personagens encontraram eco na família brasileira – em especial Dona Hermínia, a mãe que bateu recordes de bilheteria no cinema. Paulo Gustavo fez o brasileiro rir de si mesmo.

> O dia em que Paulo Gustavo parou Balneário Camboriú

Quis o destino que a morte do ator fosse constatada no mesmo dia em que Santa Catarina viveu um dos crimes mais bárbaros de sua história, com o ataque à creche que vitimou bebês e mulheres. Um dia em que a dor, essa companheira de todos os dias, foi ainda mais pungente.

Em meio a tantas tragédias que nos sufocam, o país hoje amanheceu ainda mais triste. Não temos perdido somente amigos, parentes, ícones. Perdemos também um pouco do Brasil.

Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

Leia também:

Em ataque a creche de SC, professoras trancaram crianças na sala de aula para evitar mais mortes

​CPI da Covid estimula reabertura da CPI da Chapecoense no Senado

Como será a ordem de vacinação para gestantes e pessoas com comorbidades em SC

Estado define início e prioridades para vacinar pessoas com comorbidades

Não conseguiremos vacinar todos os brasileiros em 2021, diz ex-coordenadora do PNI

> A emocionante carta de despedida da filha ao pai que morreu de Covid em SC

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas