Na semana de comemorações dos 350 anos de Florianópolis, um dos principais eventos do parabéns para a Capital de Santa Catarina foi a inauguração da Praça Forte São Luís, situada em esquina das avenidas Beira-Mar e Mauro Ramos. O investimento na praça foi privado, realizado pelo Grupo Habitasul, empreendedor de Jurerê Internacional e também controlador da indústria Irani, duas empresas que estão à frente de investimentos bilionários no Estado.  

Continua depois da publicidade

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

O presidente do Grupo Habitasul e da Irani, Sérgio Ribas, disse que o projeto da praça, que inclui também manutenção por cinco anos, é uma forma de retribuir a uma cidade e a um Estado que acolheu a empresa e abriga a maior parte das suas atividades. Em SC, segundo ele, estão praticamente 80% dos negócios do grupo que tem sede em Porto Alegre.

A expansão vertical de Jurerê Internacional, com a principal parte ainda em projetos, tem valor geral de vendas (VGV) estimado superior a R$ 1,5 bilhão e o plano é executar até em 2035. Segundo Sérgio Ribas, estão em projetos a sétima e oitava etapas, que possibilitarão duplicar o número dos atuais moradores no bairro. O grupo empreende no setor imobiliário da cidade há mais de 40 anos.

Em Vargem Bonita, Oeste de SC, a Irani Papel e Embagem está investindo R$ 1 bilhão em projeto de expansão e modernização. Com unidades em quatro estados, a empresa é a terceira maior fabricante de papeis e embalagens do país.

Continua depois da publicidade

– Na Irani, em Santa Catarina, estamos fazendo o maior projeto da nossa história. Estamos instalando uma caldeira de recuperação, que é um equipamento que propicia queimar efluente da produção de celulose para produção de energia. Com isso, a gente tem redução de custos e aumento da produção de celulose – explica Sérgio Ribas.

Além disso, os investimentos na unidade incluem a ampliação da fábrica de embalagem e reforma da fábrica de papel. O executivo explica que esses são projetos elaborados há anos, mas que agora estão sendo viabilizados porque a empresa tem recursos que obteve com a oferta pública de ações realizada em 2020.

Leia também

BRF se despede de Zoé Silveira D’Ávila, que ajudou a Sadia ser referência global em proteína

Legado econômico e social da Covid-19 no Brasil e em SC é abordado em livro lançado na UFSC

Favela de Florianópolis recebe IBGE para ação do Censo 2022

Presidente da Unimed SC fala que enfrenta câncer com esperança e vídeos viralizam

Irani é reconhecida pelo GPTW 50+ por ter programa contra discriminação etária

Destaques do NSC Total