Mais uma vez, a diversificada economia de Santa Catarina cresce mais do que a média brasileira no ano. Os dados de 2023 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sobre serviços, comércio e indústria mostram que o ritmo da economia de SC foi maior e o Estado deve ter fechado o ano passado com crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) acima do registrado no país.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp 

Setor de serviços é destaque

O destaque catarinense foi no setor de serviços, que cresceu 8% no ano passado, em volume, enquanto o Brasil cresceu 2,3%. No mês de dezembro frente ao mês anterior, SC avançou 1,8% enquanto o país cresceu 0,3% e, no mês de dezembro comparado com o mesmo período de 2022, o Estado teve alta de 4,5% enquanto o Brasil recuou -2,0.  

No ano, SC teve a maior alta no grupo de “outros serviços’, de 11%. Depois, veio o setor de transporte com crescimento de 9,8%, serviços de comunicação e informação mais 8,7% e serviços para as famílias, 7,6%. Os serviços profissionais e administrativos avançaram 1,6%.

Continua depois da publicidade

Comércio ampliado avança

No varejo ampliado, em volume, que inclui comércio de veículos, peças, materiais de construção e atacado de alimentos, SC cresceu 4,0% em 2023, enquanto o Brasil avançou 2,4%. Em dezembro, nesse indicador, o Estado cresceu 0,8% frente ao mês anterior e o país recuou -1,1%. Na comparação com dezembro de 2022, SC cresceu 6,6% e o Brasil ficou no zero a zero.

Segundo a pesquisa PMC do IBGE, os setores de comércio em SC que mais cresceram em 2023 frente ao ano anterior foram equipamentos de materiais de escritório e informática (22,3%), veículos e peças (9,4%), combustíveis e lubrificantes (8,5%), artigos farmacêuticos (5,6%), eletrodomésticos (6,1%) e hipermercados e supermercados (3,1%).

As maiores quedas foram em móveis (-13,1%), livros, jornais e revistas (-9,0%), tecidos, vestuário e acessórios (-6,1%) e materiais de construção (-4,2%).

Indústria se recupera gradualmente

A indústria de SC, que ainda enfrenta os efeitos estatísticos do elevado crescimento em 2022, teve uma recuperação expressiva, embora ainda com resultado negativo. No acumulado do ano, o setor recuou -1,3% enquanto o Brasil cresceu 0,2%.

Continua depois da publicidade

Em dezembro frente ao mês anterior, cresceu 7,2% enquanto a média do país ficou em 1,1%. Na comparação com o mesmo mês de 2022, em dezembro, SC cresceu 3,6% e o Brasil, 1,0%. Esses dados de dezembro mostram recuperação gradativa da indústria ao longo do ano. Em janeiro de 2023, ela acumulava retração de -4,1% nos últimos 12 meses. No final do ano, esse indicador caiu para -1,3%.

Tiveram altas na produção, ano passado frente ao ano anterior, os setores industriais de borracha e plástico (10,1%), equipamentos elétricos (7,7%), máquinas e equipamentos (3,7%), produtos químicos (3,4%) e produtos de metal (1,1%).

As maiores retrações na produção industrial, no ano, foram em móveis (-16,2%), vestuário e acessórios (-9,2%), minerais não-metálicos (-7,7%), metalurgia (-5,9%) e produtos de madeira (-5,4%). Também tiveram recuo em 2023 os setores de alimentos (-0,3%), produtos têxteis (-0,6%), celulose e papel (-2,4%) e veículos automotores, carrocerias e reboques (-5,0%).

Para calcular o Produto Interno Bruto (PIB), também são considerados outros dados, mas essas pesquisas do IBGE já sinalizam que o resultado da economia catarinense foi positivo e acima da média nacional.

Continua depois da publicidade

Leia também

SCGás chega aos 30 anos com ampliação de oferta e diversificação de consumidores

Irani alcança lucro de R$ 383,4 milhões em 2023, com alta de 1,4%

Com R$ 1,2 bilhão em projetos, construtora lança empreendimento na cidade que mais cresce em SC

“BRDE oferece soluções que vão além de operações de crédito”, diz presidente do banco

Destaques do NSC Total