nsc
nsc

Expansão

Indústria de SC cresce 26,1% no primeiro semestre e supera em 6,1% fase pré-pandemia

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
11/08/2021 - 15h21 - Atualizada em: 12/08/2021 - 12h52
Tupy, de Joinville, é uma das que mais ampliara
Tupy, de Joinville, é uma das que mais ampliaram exportações (Foto: Divulgação)

Um dos setores que puxam a atividade econômica de Santa Catarina, a produção industrial teve crescimento de 26,1% no primeiro semestre do ano frente aos mesmos meses do ano passado e apresentou alta de 6,1% frente a fase pré-pandemia, fevereiro do ano passado. As informações são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), na Pesquisa Industrial Mensal (PIM).

> Receba mensagens no WhatsApp com notícias de Santa Catarina

O resultado semestral foi o terceiro melhor do Brasil, atras apenas do Ceará (26,8%) e do Amazonas (26,6%). SC também ficou em terceiro lugar no acumulado de 12 meses, com crescimento de 15%, atrás do Amazonas (16,1%) e do Ceará (15,2%).

No mês de junho frente ao anterior, com ajuste sazonal, a produção industrial de SC teve leve retração de 0,3%, o que pode ser considerado estabilidade. Acompanhou o resultado nacional que ficou em 0,00. Na comparação com junho de 2020, a produção de SC cresceu 23,2%.

Na comparação de junho frente ao mesmo mês do ano passado, as diferenças são expressivas em função da pandemia, que ainda afetava a maioria da produção. Os setores que mais cresceram em junho frente ao mesmo mês do ano passado foram metalurgia (130,8%), veículos e reboques (116,4%), máquinas e equipamentos (58,3%), confecções (42,0%), têxteis (29,2%), celulose e papel (22,6%), minerais não metálicos (20,3%), produtos de madeira (13,5%), borracha e plástico (7,7%), eletrodomésticos (5%) e produtos de metal (10,9%).

O único setor com desempenho negativo em junho frente ao mesmo mês de 2020 foi o de alimentos, com recuo de 10,9%. As principais razões dessa retração estão ligadas ao mercado interno. O setor elevou muito a produção durante a pandemia, teve demanda aquecida pelo isolamento e o auxílio emergencial de R$ 600. Este ano, o auxílio é menor, a inflação subiu e o desemprego segue elevado, enquanto parte da economia ainda enfrenta impactos negativos da pandemia.

O setor de alimentos segue com exportações em alta. Também estão exportando mais os setores de autopeças, madeiras, máquinas e equipamentos e cerâmicas (minerais não metálicos), entre outros. A expectativa é de que no terceiro trimestre, o setor industrial de SC também registre crescimento acima da média nacional.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas