Indústria em que a maioria das equipes é integrada por homens, a construção civil começa a ganhar adesão de mais mulheres, tanto em cargos de liderança, quanto na área operacional. Foi por isso que o Sienge Comunidade, novo ‘braço’ da maior plataforma de soluções tecnológicas para o setor no país, da Softplan, criou o fórum Mulheres na indústria da construção.

Continua depois da publicidade

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Esse novo movimento do Sienge consiste em um fórum público, onde são compartilhadas principalmente informações relevantes sobre carreira e troca de experiências. O objetivo é difundir conhecimento para que mais mulheres tenham coragem de assumir cargos de liderança no setor das engenharias e outras funções técnicas. Inclui histórias de vida e informações tanto para executivas, quanto para as mulheres que atuam em áreas operacionais.

– Decidimos lançar o Mulheres na Indústria da Construção porque já vínhamos trabalhando muito essa iniciativa através de outros eventos. Já temos um grupo de mulheres inspiradoras que participam dos encontros e de outros grupos – disse a diretora do Sienge, Carla Gatti, que antes de assumir esse posto foi executiva do setor de tecnologia.

Quase 100 mulheres participaram no lançamento do fórum de mulheres, em maio, no Sienge
Quase 100 mulheres participaram no lançamento do fórum de mulheres (Foto: Sienge, Divulgação )

O trabalho no Sienge Comunidade começou em março, em função do Dia Internacional da Mulher, mas seguiu em 10 de maio com um workshop na sede do Sienge, no Norte da Ilha de SC. Nesse dia foi feito o lançamento do movimento no espaço Sienge Comunidade. 

Continua depois da publicidade

Conforme Carla Gatti, o objetivo é incentivar a troca de experiências, compartilhar desafios, seja de carreira, equilíbrio entre vida profissional e pessoal e desafios das próprias lideranças femininas dentro do seguimento da construção.

Com a formação de mais engenheiras, arquitetas, administradoras e profissionais da área técnica, está mais fácil para mulheres fazer carreira executiva na construção civil, mesmo que o preconceito ainda seja grande nos canteiros de obras. Outro fato novo é que mais mulheres acionistas de empresas familiares estão assumindo como CEOs de construtoras e abrindo espaço para mais executivas em diretorias ou gerências.

Enquanto a realidade na área executiva é uma, nas obras o avanço da participação feminina ainda não é expressivo, apesar de ter crescido 120% no período de 2007 a 2018, segundo apurou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com dados do Ministério do Trabalho, em 2020 no Brasil, 216,3 mil mulheres trabalhavam no setor de construção, 5,5% a mais do que no ano anterior. Como o setor tinha cerca de 5.910 milhões de trabalhadores naquele ano, as mulheres representavam 3,7% do total.

Continua depois da publicidade

Com mais de 4 mil clientes no Brasil – empresas de construção de todos os portes – o Sienge oferece plataforma com soluções digitais, métodos construtivos. modelos de gestão, conteúdos de educação e outros.

– Desenvolvemos muitos conteúdos em conjunto com esses clientes, uma trilha de capacitação bastante abrangente em toda jornada da construção disponível na plataforma. Já treinamos muitos profissionais independente de trabalharem com a gente ou não. Hoje, existe uma gama de conteúdos muito grande em diferentes canais. Nos posicionamos como um provedor de conhecimento, de gestão, de negócios – afirmou Carla Gattti.

O Sienge Comunidade conta com blogs e outras publicações sobre diversos assuntos, tanto para homens quanto para mulheres. Os conteúdos são compartilhados principalmente por executivos do setor da construção.

Destaques do NSC Total