nsc
nsc

Expansão

SC lidera crescimento da indústria no país, com alta de 12,4% até novembro

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
14/01/2022 - 15h07
Setor têxtil foi um dos que mais cresceram em novembro, com impulso das vacinas
Setor têxtil foi um dos que mais cresceram em novembro, com impulso das vacinas (Foto: Leo Laps, Especial NSC, BD)

Mais uma vez, Santa Catarina registra o maior crescimento da indústria no acumulado do ano entre os estados brasileiros. Em novembro, o Estado ficou no topo com alta de 12,4%, seguido pelo Rio Grande do Sul com 11,2%, Minas Gerais 10,9% e Paraná 10%. Também liderou no acumulado de 12 meses, com expansão de 12,8%, repetindo liderança do mês anterior. Em novembro frente a outurbro, na série com ajuste sazonal, o setor cresceu 5% em SC, atrás apenas do Mato Grosso que avançou 14,6%. O Estado registrou recuo apenas na comparação com novembro de 2020, de -2,6%.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional, do IBGE. No acumulado do ano, o maior crescimento da produção em SC foi registrado pelo setor de metalurgia, 49,5%. Na sequência, vieram os setores de veículos e reboques (41,2%), máquinas e equipamentos (27,1%), confecções (22,45) e têxteis (17,6%).

A produção industrial também cresceu no Estado de janeiro a novembro nos setores de celulose e papel (13,9%), borracha e plástico (10,5%), produtos de madeira (9,1%), minerais não-metálicos (8%), máquinas, equipamentos e materiais elétricos (7,6%) e produtos de metal (3,4%). A única retração foi registrada na indústria de alimentos, de -11,4%.

O Brasil fechou novembro com queda de -0,2% na produção frente ao mês anterior na série com ajustes porque oito dos 15 estados pesquisados tiveram recuo. Na comparação com novembro do ano passado, a média nacional foi um recuo de -4,4%. No ano, o setor cresceu no país 4,7% e em 12 meses avançou 5%.

Em novembro, a indústria catarinense foi favorecida pela retomada de atividades em função da vacinação, tanto no Brasil quanto no exterior. Entre os destaques na expansão das vendas internas estão os setores têxteis e confecções, materiais de construção e metalurgia, entre outros. No exterior, o crescimento é puxado por produtos de madeira e autopeças, máquinas e equipamentos. O setor de alimentos teve queda no volume de vendas no mercado interno, impactado pela alta da inflação.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas