Gaspar, Indaial, Timbó e Pomerode registraram crescimento populacional superior ao da vizinha Blumenau, revela o Censo 2022, divulgado pelo IBGE nesta quarta-feira (28). Em 12 anos, os quatro municípios do entorno aumentaram o número de habitantes em 26,6%, na média. A cidade pólo do Médio Vale teve incremento de 16,9%. Números que trazem uma lição sobre a necessidade de integrar a região.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp

Queiram ou não as cinco prefeituras, existe uma região metropolitana em formação nas franjas de Blumenau. A população da maior cidade espalha-se. Bairros limítrofes tornam-se um só e, para quem mora neles, a divisão política dos municípios tem cada vez menor importância. A duplicação da BR-470 acelera esse processo de conurbação, assim como ocorreu no litoral de Santa Catarina.

Blumenau chega a 361 mil habitantes e mais do que dobra população em 40 anos

Juntas, Gaspar, Indaial, Timbó e Pomerode ganharam 47.113 habitantes de 2010 a 2022, pouco menos que os 52.250 de Blumenau. A região soma 585,7 mil pessoas, mais que o município de Florianópolis.

Continua depois da publicidade

Esse contingente populacional não dispõe de um hospital público regional, só recentemente teve acesso a ensino superior gratuito, conta com oferta irregular de esgoto tratado e o abastecimento de água tem sofrido interrupções devido à água turva dos rios, resultado do desmatamento. Até ao destino turístico Vale Europeu ainda falta um discurso unificado.

O que o Censo 2022 revela a dois importantes setores da economia de SC

Milhares de blumenauenses, gasparenses, indaialenses, pomerodenses e timboenses deslocam-se de uma cidade para a outra todos os dias. Para estudo, trabalho ou lazer. Mas ainda não existe um sistema de transporte público eficiente para servi-los. A integração tarifária, que morreu na casca numa primeira tentativa, precisa retornar à pauta.

Quando finalmente duplicada até Indaial, a BR-470 provavelmente já terá pontos de saturação, a exemplo do que ocorreu na BR-101. Sem ônibus intermunicipais baratos e integrados aos terminais de Blumenau, nenhuma ampliação viária pontual dará jeito nas filas.

Blumenau já não termina nos limites geográficos definidos por lei. Na prática, a cidade abraçou as vizinhas. Ou o contrário, se o leitor preferir.

Continua depois da publicidade

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto do Whatsapp

Leia também

Quando a confusão no trânsito da Fortaleza, em Blumenau, terá alívio

Parque da Oktoberfest Blumenau será ampliado

Vereador de Blumenau quer proibir volta do monumento a Lula às ruas

Blumenau reivindica duas obras ao ministro dos Transportes

Destaques do NSC Total