A Câmara dos Deputados criou nesta quinta-feira (6) um grupo de trabalho para debater políticas públicas contra a violência e ataques às escolas. É mais um reflexo do ataque à creche Cantinho Bom Pastor, de Blumenau, no dia 5 de abril. A coordenação do colegiado, que conta com 13 parlamentares, ficou com o deputado catarinense Jorge Goetten (PL).

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp

O grupo poderá promover audiências públicas e reuniões com entidades. Segundo Goetten, mais de 20 projetos de lei foram apresentados em Brasília depois do ataque que deixou quatro crianças mortas em Blumenau. O objetivo do grupo é analisar esses projetos e discutir soluções com a sociedade.

Logo após o crime em Blumenau, Goetten, o prefeito Mário Hildebrandt (Podemos) e o presidente da Câmara de Vereadores, Almir Vieira (PP), entregaram ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), um abaixo-assinado com 15 mil nomes pedindo penas mais duras para a violência no ambiente escolar. Eles levaram familiares das vítimas à Capital Federal para sensibilizar autoridades.

Os trabalhos do grupo devem ser concluídos em 90 dias, podendo ser prorrogados, mas as atividades só começarão para valer após o recesso de julho no Congresso. Além de Goetten, a deputada catarinense Geovânia de Sá (PSDB) também integra o grupo.

Continua depois da publicidade

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto do Whatsapp

Leia também

Oktoberfest Blumenau altera regulamento do concurso de rainha após processos

Bolsonarismo encolhe com a reforma tributária, mas direita de SC segue fiel

Câmara de Blumenau proíbe monumento a Lula

Obras na BR-470 mudam trânsito em outro acesso a Blumenau

Destaques do NSC Total