nsc
nsc

Velocidade

Efeitos da pandemia ocultam retrocesso na fiscalização do trânsito de Blumenau

Compartilhe

Evandro
Por Evandro de Assis
05/01/2021 - 17h19 - Atualizada em: 06/01/2021 - 08h31
Tendência de redução no número de mortes coincidiu com aperto na fiscalização
Tendência de redução no número de mortes coincidiu com aperto na fiscalização (Foto: Patrick Rodrigues, BD, 14/2/2019)

Blumenau terminou o último ano com 21 mortes causadas por acidentes de trânsito nas vias municipais, oito a menos que no ano anterior. É o número mais baixo registrado pela Seterb desde o início da série histórica, em 2001. Apesar do dado positivo, antecipado pelo colega Augusto Ittner, não há razão para entusiasmo. Os números, influenciados pela pandemia de coronavírus, ocultam um retrocesso para a segurança no trânsito da cidade.

> Receba notícias de Blumenau por WhatsApp. Clique e entre no grupo do Santa​.

> Blumenau termina 2020 com 21 mortes no trânsito, o menor número em duas décadas.

Antes de 2020, o mesmo número de 21 óbitos havia sido registrado em 2016 e 2018. Com uma diferença importante: não havia Covid-19 à época. Em outras palavras: Blumenau perdeu 21 vidas em acidentes no ano passado APESAR das baladas fechadas, das restrições para as atividades de bares e restaurantes, das aulas presenciais suspensas em escolas e universidades, do cancelamento da Oktoberfest e das quarentenas de março e julho.

Quando se analisa a situação num contexto de longo prazo, salta aos olhos uma tendência de redução da violência no trânsito desde 2010, ano em que 61 pessoas morreram em acidentes. Depois daquele recorde triste, a cidade retomou a fiscalização com lombadas eletrônicas e, em 2014, adotou os impopulares “secadores” operados pela Guarda de Trânsito. A frota cresceu, mas acidentes fatais ficaram gradativamente menos frequentes.

É impossível determinar o rigor no monitoramento como único fator de redução, mas a correlação parece evidente. Como também não deve ser coincidência que o recrudescimento dos acidentes fatais, com 29 óbitos, tenha ocorrido justamente em 2019, ano em que a Seterb restringiu a presença dos radares portáteis nas ruas — eles seriam abandonados de vez em julho de 2020.

> Seterb resgringe em 62% o uso de radares portáteis no primeiro semestre de 2019.

No mesmo mês do ano passado terminou o contrato com a empresa que mantinha as lombadas eletrônicas de Blumenau, iniciando um novo período de apagão na fiscalização eletrônica.

Em 2021, as ruas estão livres para os motoristas apressados enquanto os blumenauenses retomam a vida normal. A volta às aulas restabelecerá o tráfego intenso dos horários de pico. Baladas e bares abertos à noite e nas madrugadas criam o ambiente em que condutores irresponsáveis combinam o excesso de velocidade com bebidas alcoólicas.

A Seterb ainda não tem data para relançar a licitação das lombadas eletrônicas. O edital chegou a ser publicado no ano passado, mas precisou ser suspenso para alterações depois que o governo federal editou novas regras para a fiscalização. Não há sinal de que outro dispositivo eletrônico venha a reforçar o trabalho dos agentes ao longo do ano.

Apesar da enorme resistência política aos radares portáteis e do apoio popular à risível tese de que fiscalizar o cumprimento da lei é instalar uma “indústria da multa”, duas décadas de dados sobre o trânsito de Blumenau indicam que a fiscalização eletrônica de velocidade contribui para a segurança de todos. Retomá-la é urgente.

O que diz a prefeitura

Confira, na íntegra, a nota enviada à coluna pela assessoria da Secretaria de Trânsito e Transportes (Seterb):

"Em resposta à coluna do jornalista Evandro de Assis, a Prefeitura afirma que não está retrocedendo e sim avançando na segurança no trânsito, exemplo disso é o investimento na Central de Controle Operacional (CCO), que em breve entrará em operação. A CCO será um importante instrumento na segurança viária e vai contar com câmeras de monitoramento, semáforos adaptativos e softwares e, com os pontos críticos do trânsito já mapeados, será possível avançar na segurança viária e mobilidade, reduzindo a taxa de mortalidade com acidentes. Os dados serão controlados em tempo real e integralmente. Com estas informações coletadas, a Seterb tomará decisões mais ágeis para melhorar a fluidez no trânsito, além disso, a CCO vai contribuir com os órgãos de segurança pública, no compartilhamento de informações. O município também conta com o trabalho de educação e conscientização no trânsito feito pela Escola Pública de Trânsito (EPT), que por meio de blitze educativas busca orientar os motoristas para um trânsito mais seguro. A Secretaria de Comunicação também fez campanhas de conscientização no trânsito, principalmente voltada aos motoboys, para que conduzam com segurança, evitando acidentes nas vias da cidade".

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp. Basta clicar aqui.

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Mais colunistas

    Mais colunistas