nsc
nsc

EXCESSO DE CHUVA

Está faltando sol na região de Blumenau para produzir alimentos e energia

Compartilhe

Evandro
Por Evandro de Assis
24/10/2021 - 09h55
Plantas demoram a atingir o tamanho necessário para a venda
Plantas demoram a atingir o tamanho necessário para a venda (Foto: Patrick Rodrigues)

A falta de sol na região de Blumenau em outubro está prejudicando a produção de alimentos e a geração de energia. Há umidade demais para semear e luz de menos para fazer as plantas crescerem. Nos telhados, tem faltado insolação para alimentar as placas fotovoltaicas. Um prejuízo difícil de prever e de recuperar. Mas que começou a ser aliviado pelas aberturas de sol entre nuvens no Vale do Itajaí neste fim de semana.

> Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp.

Agricultores que fornecem hortaliças a supermercados, feiras e restaurantes têm tido dificuldades para abastecer os clientes. Sem sol predominante desde 27 de setembro, as plantas demoram a crescer, atrapalhando o ciclo de entregas. No caso da alface, por exemplo, o que deveria estar pronto para consumo entre 30 a 35 dias leva mais de 50 para chegar ao tamanho ideal.

— Produto a gente tem, mas não no tamanho que se espera, principalmente pelos mercados — lamenta o engenheiro agronômo Valdecir Haut, que produz folhosas em Pomerode há nove anos.

Mesmo para os restaurantes, os produtores precisam entregar mais unidades para compensar o tamanho menor. Ou seja, trabalham com margem reduzida.

Em Blumenau, a diretoria de Agricultura monitora os impactos aos pequenos produtores. Além do prejuízo ao crescimento das hortaliças, a umidade favorece o surgimento de fungos e atrasa o plantio, porque as sementes apodreceriam na terra molhada. É o caso do milho, que nesta época é plantado para a segunda colheita do ano.

— O pessoal perde porque atrasa tudo. Não dá para preparar o solo, faz menos colheitas e tem problemas com doenças fúngicas — analisa o diretor Josmar Dall'Acqua.

Nos próximos dias, quando o sol deve retornar ao Médio Vale do Itajaí, de acordo com a meteorologia, a dificuldade será outra: faltarão máquinas para atender a todos os produtores blumenauenses que deixaram de plantar nos últimos 20 dias. A prefeitura mantém um serviço de patrulha mecanizada, cedendo tratores a à agricultura familiar. Como a maioria está à espera do sol, quando o tempo secar haverá disputa pelos equipamentos.

Energia solar

O céu cinzento também reduz a produção de energia solar. Outubro deve fechar como o pior mês de 2021 para quem tem painéis instalados na região de Blumenau. Dados da empresa Prisma Energia Solar mostram que a geração nos primeiros 20 dias do mês entre clientes do Médio Vale está entre 60% e 70% abaixo do registrado em outubro de 2020 e 2019. 

Os painéis solares são uma alternativa cada vez mais procurada por donos de imóveis para reduzir os custos com energia elétrica. O investimento geralmente é compensado pela economia ao longo do tempo. Neste mês, o clima não está colaborando com quem fez a aposta.

Previsão do tempo

Depois da passagem de uma frente fria pelo Vale do Itajaí, no sábado, uma massa de ar seco começa a agir sobre a região a partir de segunda-feira (25). A semana terá dias mais quentes e com menos nuvens. Chuva, quando houver, será nos extremos do dia e de baixa intensidade.

Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp. Basta clicar aqui.

Leia também

Por que o sol está de mal com Blumenau neste mês de outubro

Que papel Lula planeja para o PT de Santa Catarina nas Eleições 2022

Motoristas anunciam "torneio de golfe" nos buracos da BR-470; chuva atrapalha obras

Campanha em Blumenau restaura bicicletas usadas para doar a crianças no Natal

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Evandro de Assis

Colunista

Evandro de Assis

Notícias e comentários exclusivos sobre o cotidiano de Blumenau e do Vale do Itajaí.

siga Evandro de Assis

Mais colunistas

    Mais colunistas