nsc
    nsc

    Análise

    Retorno das máquinas à SC-108, em Blumenau, só depende do governo estadual

    Compartilhe

    Evandro
    Por Evandro de Assis
    20/04/2021 - 10h11 - Atualizada em: 20/04/2021 - 11h03
    Obra do prolongamento da Via Expressa está parada há mais de três anos
    Obra do prolongamento da Via Expressa está parada há mais de três anos (Foto: Patrick Rodrigues)

    Só depende do governo do Estado o retorno das máquinas ao canteiro de obras da nova SC-108, o prolongamento da Via Expressa de Blumenau. Está com a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade uma minuta de Termo de Ajustamento de Conduta proposto pelo Ministério Público. O documento proporcionaria segurança jurídica ao Estado e à empreiteira responsável, que não vêm entendendo-se sobre a prestação de contas da construção. Uma reunião na quinta-feira (22), com a presença do prefeito Mário Hildebrandt (Podemos), pode destravar a questão.

    > Receba notícias de Blumenau e região direto no Whatsapp.

    O prolongamento está abandonado desde 2017. Inicialmente, houve uma divergência sobre o volume de pedras retirado pela empresa Cetenco do local, que superaria o projetado. Em seguida o promotor Gustavo Mereles Ruiz Dias abriu um inquérito para investigar as contas da obra. O Estado, então, passou a sustentar que pagou até 40% a mais do que deveria em serviços posteriores. Esse encontro de contas já dura mais de três anos.

    No início deste ano, após uma série de audiências que envolveram a empreiteira, o Estado e o Tribunal de Contas, Mereles propôs um acordo formal às partes. Com ele, seria possível retomar a obra e seguir discutindo em paralelo o que ficou para trás. A minuta de termo já foi aprovada pela Procuradoria Geral do Estado e está à espera de análise do novo secretário da Infraesturutra, Leodegar Tiscoski. A mudança de comando na pasta naturalmente atrasou o processo.

    Segundo o recém-empossado secretário-adjunto da pasta, o blumenauense André Espezim, a reunião de quinta-feira também abordará outros temas importantes para a cidade, como o balizamento noturno e a construção do muro do Aeroporto Quero-Quero e a construção do Centro de Convenções.

    Não falta dinheiro

    O governo do Estado tem garantido que o problema da SC-108 nada tem a ver com falta de dinheiro. Essa explicação vem sendo repetida em resposta aos críticos do investimento de R$ 200 milhões na duplicação da BR-470. Haveria orçamento para construir os mais de 15 quilômetros de pistas duplas que ligarão o bairro Fortaleza à Serra da Vila Itoupava, desafogando a atual SC-108, a rodovia Guilherme Jensen.

    A retomada das obras seria a melhor sinalização de que dá para confiar nisso.

    Receba textos e vídeos do colunista Evandro de Assis direto no WhatsApp.

    Mais colunistas

      Mais colunistas