nsc
    nsc

    Nova parada

    Era preciso parar! Determinação do governo para o futebol catarinense é correta

    Compartilhe

    Faraco
    Por Faraco
    13/07/2020 - 18h20 - Atualizada em: 13/07/2020 - 19h09
    Depois dos jogos de ida das quartas de final, futebol tem que parar novamente
    Depois dos jogos de ida das quartas de final, futebol tem que parar novamente (Foto: Márcio Cunha/ ACF)

    O futebol voltou na última semana com muitas dúvidas e questionamentos. Havia uma atmosfera de incertezas quanto ao funcionamento das restrições e em relação ao cumprimento do protocolo discutido durante meses entre clubes, prefeituras e governo. Não deu certo!

    > Após casos de covid-19, Campeonato Catarinense é suspenso por 14 dias

    É o que traz agora a certeza que era preciso parar, reorganizar e realinhar. Os casos postivos mostram que o caminho não foi correto e o futebol estava espalhando o vírus, pelo menos entre os clubes, em vez de controlar.

    A quarentena imposta é de 14 dias. Nesse período vai ser preciso estabelecer maior rigidez no novo protocolo que vai ser elaborado e cumprimento total daquilo que for acordado.

    Pelo menos testes frequentes e mais precisos. Não é possivel utilizar mais os testes rápidos, que não indicam a presença do vírus nos primeiros dias.

    A reunião da tarde desta segunda-feira ratificou o que o futebol já esperava: a parada por 14 dias.

    Desde o final de semana já havia um indicativo da Vigilância Sanitária que os clubes estariam de quarentena a partir da detecção de casos de coronavírus em vários deles – Marcílio Dias, Figueirense, Chapecoense, Joinville e Criciúma, além da equipe de arbitragem, tiveram casos positivos confirmados nas últimas duas semanas.

    A reunião foi rápida, durou cerca de uma hora e teve representantes do governo, da Federação Catarinense de Futebol, da Associação de Clubes SC, e médicos dos clubes.

    A Federação e os clubes admitem que é preciso aumentar a exigência em relação aos testes e à precisão destes. Ao mesmo tempo mantém a ideia de que afastar pessoas que tiveram contato com os casos positivos – o que está no protocolo atual – inviabiliza o futebol.

    As autoridades de saúde alegam que estão praticando o protocolo médico geral indicado na luta contra o coronavírus, que prevê como regra este tipo de afastamento. Até por isso, desde sábado já havia a ideia que os times estariam obrigatoriamente de quarentena.

    Uma nova reunião vai ser realizada nesta terça-feira. Vai ser um encontro técnico, entre o pessoal de saúde do estado e os médicos dos clubes. A partir deste novo encontro saem definições para o novo protocolo, inclusive a definição sobre os treinamentos. Ainda não se sabe se é possível seguir treinando.

    Confira a nota do governo do estado

    Uma reunião entre Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Federação Catarinense de Futebol, nesta segunda-feira, 13, definiu que o Campeonato Catarinense continua suspenso pelos próximos 14 dias. Foi criada uma comissão de médicos dos clubes para avaliar a adoção de protocolo mais rígido, com o objetivo de garantir a segurança a funcionários e atletas dos clubes.

    O secretário adjunto da Saúde, Aldo Baptista Neto, participou da webconferência e ouviu as demandas dos clubes e explicou detalhes sobre as medidas da portaria 466, que determinaram a suspensão das partidas por duas semanas.

    A comissão, que conta com a participação de infectologistas da SES, começa a atividade nesta terça-feira. “É uma doença nova, com suas nuances e riscos diante de contato. Por isso, estaremos avaliando com esse grupo as medidas adotadas daqui para frente para atender aos clubes, garantido toda segurança aos funcionários e familiares”, disse Raquel Bittencourt, superintendente de Vigilância em Saúde da SES.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas