nsc
nsc

análise tática

Figueirense: como Jorginho surpreendeu a Chapecoense

Compartilhe

Faraco
Por Faraco
11/05/2021 - 15h19 - Atualizada em: 11/05/2021 - 16h31
Everton Santos foi peça chave de Jorginho no sistema utilizado
Everton Santos foi peça chave de Jorginho no sistema utilizado (Foto: Cristiano Andujar/ Andujar Press)

Quando a maioria – jornalistas, comentaristas, adversários e até outros técnicos – poderia apostar em um time do Figueirense mais fechado, correndo menos riscos, com muito mais cautela, Jorginho foi pra cima da Chapecoense. Sem pensar duas vezes.

Sim, porque era o Figueirense, eliminado na primeira fase, que havia dispensado jogadores, inclusive titulares, que prevê muitas contratações e reformulações para a Série C, contra a Chapecoense, que foi soberana no primeiro turno do Estadual, quatro pontos distante do segundo colocado, o Brusque, e 15 pontos (equivalentes a cinco vitórias) a mais que o próprio Figueirense.

Some-se a tudo isso o passeio que a Chapecoense havia aplicado no turno, no mesmo Orlando Scarpelli, quando venceu por 3 x 1 com sobras. Aliás, naquele jogo, o Figueirense só conseguiu competir no segundo tempo, quando passou a se organizar no campo de defesa, fechando os espaços.

Linha ofensiva com QUATRO jogadores

Postura agressiva fica clara com linha de quatro atacantes do Figueirense
Postura agressiva fica clara com linha de quatro atacantes do Figueirense
(Foto: )

O Figueirense entrou em campo no domingo arriscando tudo. Jogou praticamente com os dois zagueiros sozinhos no mano a mano atrás. Tinha uma linha ofensiva e agressiva na frente com quatro jogadores. Na imagem acima a jogada do primeiro gol, com Everton Santos se lançando pela direita e invertendo posição com Alê Santos.  

Marcação forte por dentro

Marcação forte na saída de bola, com atacantes e meias pressionando o tempo todo
Marcação forte na saída de bola, com atacantes e meias pressionando o tempo todo
(Foto: )

A imagem mostra três jogadores do Figueirense em marcação encaixada por dentro na saída de bola da Chapecoense. Tiago Coser tenta dar a saída e a bola é recuperada por Giva, que faz a pressão nele. Ao lado estão encaixados Fabrício, mais a esquerda, e Khevin, um pouco mais atrás. Os dois cuidam de Moisés Ribeiro e Lima, pressionado os homens de saída de bola no meio de campo.

Giva faz o terceiro gol do Figueirense aproveitando espaço vazio e antecipando
Giva faz o terceiro gol do Figueirense aproveitando espaço vazio e antecipando
(Foto: )

A bola é recuperada e rapidamente Everton Santos é acionado pela direita. A linha defensiva da Chape está com apenas três jogadores e Giva aproveita o espaço pra se antecipar, pegando de primeira o cruzamento de Éverton Santos.

Leia mais

> "Deixaram a gente sonhar", diz Éverton Santos, capitão do Figueirense

> Figueirense acerta parceira com LA Sports visando a montagem do elenco para a Série C

Rodrigo Faraco

Colunista

Faraco

Jornalista e comentarista esportivo, sempre atento ao que acontece especialmente no futebol catarinense, faz análises e bastidores dos times do Estado.

siga Faraco

Rodrigo Faraco

Colunista

Faraco

Jornalista e comentarista esportivo, sempre atento ao que acontece especialmente no futebol catarinense, faz análises e bastidores dos times do Estado.

siga Faraco

Mais colunistas

    Mais colunistas