nsc
nsc

Economia

Coronavírus: Havan suspende contrato de 11 mil funcionários por 60 dias

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
13/04/2020 - 16h09 - Atualizada em: 14/04/2020 - 14h58
Luciano Hang
O empresário Luciano Hang, dono da Havan (Foto: Tiago Ghizoni, BD)

Maior loja de departamentos do Brasil, a Havan vai suspender por dois meses o contrato de 11 mil funcionários, sendo cerca de 3,4 mil deles de colaboradores de Santa Catarina — das lojas de shoppings que seguem fechadas, do centro de distribuição em Barra Velha e da sede administrativa em Brusque. Ao todo, a rede varejista emprega 22 mil pessoas em suas lojas espalhadas pelo país.

​​​> Em site especial, saiba tudo sobre o novo coronavírus

A medida atinge principalmente as lojas que estão fechadas – em Santa Catarina, o comércio de rua foi autorizado a reabrir as portas nesta segunda-feira (13). Segundo a empresa, alguns funcionários entraram em férias e outros estão trabalhando em regime de home office.

A suspensão temporária dos contratos por até 60 dias passou a ser permitida pela Medida Provisória 936, editada pelo governo federal. O empresário Luciano Hang alega que a medida vai ajudar a manter os empregos. Ele também desmente informação que circulou nas redes sociais de que a Havan teria demitido 2 mil pessoas.

Leia também: Coronavírus: números indicam como foi a expansão do vírus em Santa Catarina no primeiro mês do surto

Ao longo desse período, segundo a Havan, os funcionários continuam recebendo os benefícios que cabem à empresa pagar e o governo faz o depósito de parte de um valor equivalente ao seguro-desemprego. Além disso, os colaboradores ganham quatro meses de estabilidade, sendo dois da suspensão e mais dois quando voltar.

No fim de janeiro, a Havan divulgou um faturamento de R$ 10,7 bilhões em 2019. A rede encerrou o ano com 141 lojas.

Leia também: Painel do Coronavírus mostra os casos confirmados no Estado e escalada de mortes no país

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas