Marca inconfundível entre os adeptos do crochê, tricô e bordado, a catarinense Círculo, que tem sede em Gaspar, vai trocar de comando em breve. O executivo José Altino Comper, de 71 anos, conta os dias para deixar a presidência, cargo que ocupa desde 2009. O sucessor será um prata da casa: Osni de Oliveira Junior, 39 anos, atual diretor de marketing da companhia. A passagem de bastão será oficializada em 1º de setembro.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e região por WhatsApp

A transição é peculiar na história de 85 anos da empresa, líder de mercado e maior fabricante de fios para trabalhos manuais da América Latina. É que nunca antes, afirma Comper, a sucessão foi tão planejada e preparada. As conversas começaram há cerca de um ano e meio. Desde então, Junior vem se inteirando de temas ligados à presidência e participando de reuniões de outras áreas do negócio além do marketing.

Empresa de Gaspar quer “varrer os EUA” e se tornar ainda mais internacional

Escolhido a dedo pelos membros da família fundadora, o jovem executivo vai coroar uma trajetória de quase 20 anos de Círculo. Ele entrou na empresa em 1999 como estagiário de fábrica, função que exerceu por dois anos e meio. Saiu para empreender, mas retornou em 2007 como analista de compras e foi ascendendo no organograma administrativo, passando pela área de vendas e assumindo a gerência de uma filial comercial no Nordeste. Desde 2018 responde pela diretoria de marketing.

Continua depois da publicidade

Ao sucessor, Comper promete entregar um negócio, nas palavras dele, “saudável”. A companhia acaba de concluir um investimento de R$ 50 milhões voltado à expansão, que incluiu atualização de maquinário e uma ampliação da fábrica – uma área adicional de 2,5 mil metros quadrados foi construída, totalizando um parque fabril de cerca de 40 mil metros quadrados. Segundo o já quase ex-presidente, está tudo pronto para um novo ciclo de crescimento.

— A Círculo melhorou sua posição de mercado, fizemos bons investimentos e ampliamos a liderança no setor — diz Comper, numa autoavaliação da sua passagem pela presidência.

Com o caminho já traçado, Junior adota o discurso de continuidade do trabalho. Embora fiel às diretrizes, ele também deve dar um toque pessoal à gestão. O executivo tem na comunicação direta com o mercado um dos seus pontos fortes. Só na conta do Instagram, que tem selo de verificação e tudo, são 46,5 mil seguidores. Pelas redes sociais, Junior compartilha o dia a dia da Círculo, faz promoções, anuncia lançamentos, destaca produtos e interage com a clientela. Mas ele avalia que dá para fazer mais.

— Podemos avançar no fortalecimento da marca — projeta o por enquanto diretor, que também acumula uma passagem de quatro anos pelo Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC), movimento de empresas que busca aprimorar o setor têxtil do Estado.

Continua depois da publicidade

Já em outubro Junior deve comandar a primeira reunião de revisão do planejamento estratégico da Círculo, que definirá os passos da empresa para os próximos três anos. Avançar no mercado externo também está no radar do futuro presidente. O foco são os Estados Unidos, mas a companhia também entrou em novos países neste ano, como África do Sul, Ucrânia e Nova Zelândia. Como as exportações hoje oscilam de 5% a 7% do volume de produção, há espaço para crescer lá fora.

Com 1,5 mil funcionários, a Círculo projeta um faturamento de R$ 450 milhões em 2023.

Conselho

De saída da presidência, Comper, que tem 34 anos de Círculo, deve ocupar uma cadeira em um novo conselho que a empresa está estruturando. Mas a rotina será menos intensa a partir de setembro, sem a presença diária na fábrica.

O executivo diz que quer diminuir o ritmo para passar mais tempo com a família e tocar outros planos pessoais. Ele continua na presidência do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau e Região (Sintex), cargo para o qual recentemente foi eleito para um terceiro mandato.

Leia também

Como será o novo shopping a céu aberto de Indaial

Hemmer reabre loja de fábrica em Blumenau após 7 meses

Oktoberfest Blumenau vai faturar pelo menos 60% a mais com cervejarias artesanais

Festa do chope, Oktoberfest Blumenau terá patrocínio de marca de leite

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado pelo WhatsApp

Destaques do NSC Total