nsc
nsc

Opinião

Para a economia, vacina da Covid-19 é mais urgente no Brasil do que as reformas estruturais

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
15/01/2021 - 10h34
Comércio em Blumenau
Afastar em definitivo o risco de que pessoas adoeçam pela Covid-19 é eliminar restrições na economia (Foto: Patrick Rodrigues, BD)

O “Dia D” prometido pelo ministro Eduardo Pazuello está logo ali. A partir da próxima quarta-feira (20), salvo mudanças de última hora no cronograma, os primeiros integrantes dos grupos de risco da Covid-19 começam a ser imunizados no Brasil. A tão esperada vacina do coronavírus demorou mais tempo para chegar a terras tupiniquins do que em outros países? Sim, e não faltaram merecidas críticas à inépcia tantas vezes demonstrada pelo governo federal para providenciar a proteção da população. Mas ela enfim chegou. É algo a ser celebrado.

> Quer receber notícias de Blumenau e do Vale por WhatsApp? Clique aqui e entre no grupo do Santa

A hora agora, portanto, é de canalizar energias para assegurar que a complexa logística de vacinação funcione – e nisso, felizmente, o sistema de saúde nacional tem experiência como poucos. Também não é momento para discussões políticas vazias e raivosas, envenenadas por uma polarização doentia que em nada contribui para resolver os nossos tantos problemas. Nenhuma ideologia, afinal, vale mais do que salvar vidas na prática.

> Vacinação contra a Covid-19: Blumenau pretende imunizar 70 mil pessoas dos grupos prioritários

Para o mercado, vacina é sinônimo de futura estabilidade na economia. Afastar em definitivo o risco de que pessoas adoeçam pela Covid-19 é eliminar restrições de funcionamento dos mais diversos setores produtivos. Não há reforma estrutural, nem administrativa e nem tributária, mais essencial hoje do que a imunização contra o coronavírus. Ao garantir a livre circulação e consumo da população, somente ela abrirá caminho para a efetiva retomada do crescimento do emprego e da renda.

> Descartada variante mais transmissível da Covid-19 em testes de SC

Empresas e empreendedores que tanto cobram “previsibilidade” para investir deveriam ter especial interesse em defender a vacina, por todos esses fatores. E também poderiam usar o poderio financeiro e de marketing para esclarecer que a imunização é segura, combatendo o negacionismo patrocinado por radicais espalhados por todas as camadas da sociedade – inclusive dentro do próprio poder público.

Há um longo caminho pela frente até que a Covid-19 deixe de ser uma ameaça à normalidade. Máscara, distanciamento social e álcool em gel continuarão fazendo parte da rotina em 2021 e enquanto ainda existir gente desprotegida. A largada da vacinação representa uma dupla esperança para mudar essa realidade: permitirá que vidas deixem de ser interrompidas precocemente pelo vírus e que a economia aos poucos retome os trilhos do crescimento.

Quer receber notícias e análises de economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região no seu celular? Acesse o canal do blog no Telegram pelo link https://t.me/BlogPedroMachado ou procure por "Pedro Machado | NSC" dentro do aplicativo.

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas