nsc
nsc

INTEGRAÇÃO TEMPORAL

Passageiro de Blumenau poderá trocar de ônibus sem pagar nova tarifa

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
30/05/2022 - 07h12 - Atualizada em: 30/05/2022 - 09h08
Na prática, modelo reativa uma das funções originais de uma das estações de embarque na Beira-Rio
Na prática, modelo reativa uma das funções originais de uma das estações de embarque na Beira-Rio (Foto: Nathan Neumann, BD)

Blumenau vai começar a testar em breve um novo modelo de integração do transporte coletivo municipal. Passageiros poderão descer de um ônibus e embarcar em outro pouco tempo depois sem o desconto de uma segunda tarifa – algo que hoje só é possível fazer dentro dos terminais. Essa transição ficará restrita a uma janela de tempo, que vai variar de 30 a 60 minutos, e, neste início, a poucas linhas (veja abaixo).

> Receba notícias de Blumenau e do Vale pelo WhatsApp

A novidade é chamada de integração temporal, algo que já existe em outras cidades, como Joinville e Curitiba (PR). Um dos objetivos é agilizar o deslocamento do usuário sem que ele precise ir até um terminal para embarcar em um segundo veículo. Funcionários da Blumob começaram a receber os primeiros treinamentos na semana passada. Os testes iniciam para valer em 4 de julho.

O benefício ficará restrito a quem usa o cartão para cruzar a catraca e será válido de segunda a sexta-feira. Haverá um limite diário de duas integrações temporais, com até dois ônibus de linhas diferentes.

O próprio cartão vai fazer esse controle, registrando o horário em que o passageiro entrou no primeiro ônibus. A partir dali, começa a correr o tempo. Se o usuário estiver dentro do intervalo ao embarcar em uma segunda linha, o sistema não irá descontar créditos do cartão quando ele cruzar a catraca.

Cálculos internos feitos pela Secretaria de Trânsito e Transportes sugerem que os passageiros que optarem pela integração poderão ganhar de 30 minutos a uma hora de tempo de deslocamento durante horários de pico. Se os resultados forem positivos, o objetivo é estender a modalidade para outras linhas no futuro.

Como vai funcionar

Na prática, a medida irá reativar a função de uma das estações de embarque da Avenida Beira-Rio – a Carlos Gomes, depois da Ponte Adolfo Konder – que serviam para integrar o sistema na época do Consórcio Siga. A diferença é que, neste caso, elas serão consideradas pontos de parada, já que a integração mesmo acontecerá dentro dos ônibus.

De início, os testes incluirão três linhas de ônibus consideradas matrizes. Quem pegar um Troncal 11, saindo do Terminal Aterro com direção ao Terminal Fonte, poderá descer na estação de embarque Carlos Gomes e embarcar nos Troncais 30, 31 e 32, no sentido Fonte/Velha, sem pagar uma segunda tarifa, desde que a integração aconteça em até meia hora.

Outra linha que permitirá a integração é a 508, que passa pela República Argentina, no bairro Ponta Aguda. Quem embarcar nela rumo ao Terminal Fonte também poderá descer na estação de pré-embarque Carlos Gomes e pegar as linhas Troncal 10 (sentido Garcia/Aterro), 12 (sentido Fonte/Aterro), 15 (sentido Fonte/Fortaleza), 30, 31 e 32 (sentido Fonte/Velha) e 80 (sentido Fonte/Itoupava). Neste caso a integração poderá ser feita em até uma hora.

A última linha que entrará em fase de testes é a 607 (Nova Esperança). Quem sair do Terminal Fortaleza em direção ao Terminal Fonte poderá parar na estação de embarque Carlos Gomes e dali pegar, em um intervalo de 60 minutos, as linhas Troncal 10 (sentido Garcia/Aterro), 12 (sentido Fonte/Aterro), 30, 31 e 32 (sentido Fonte/Velha) e 80 (sentido Fonte/Itoupava).

Ponto comum

A estação de embarque Carlos Gomes é um ponto de parada comum das linhas envolvidas nesta fase de testes. Tanto o Troncal 11 quanto as linhas 508 (República Argentina) e 607 (Nova Esperança) chegam no Centro pela Ponte Adolfo Konder. 

Com a integração, um passageiro de uma dessas três linhas pode descer na estação Carlos Gomes e pegar um ônibus sentido Velha, por exemplo, sem precisar contornar a prefeitura, descer a Rua 7 de Setembro e ir até o Terminal Fonte para embarcar em um segundo veículo sem pagar nova tarifa. É esse deslocamento maior que o sistema quer cortar.

Da mesma forma, as linhas que serão integradas a estas três saem do Terminal Fonte. A Avenida Beira-Rio, portanto, é um corredor de passagem comum a todas elas.

Ideia antiga

A integração temporal está longe de ser uma novidade. Um decreto de 2009, que regulamentou o sistema de bilhetagem eletrônica no transporte coletivo de Blumenau, já abria essa possibilidade. A modalidade chegou a entrar em funcionamento em 2012, mas foi suspensa mais tarde.

Receba notícias e análises do colunista Pedro Machado sobre economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região pelo WhatsApp ou Telegram

Leia também

Blumenau vai mudar lei de quase 50 anos para encaminhar compra do Complexo do Sesi

Empresa de Blumenau faz proposta para comprar antiga sede da Dudalina

Páscoa faz rede hoteleira de Blumenau ter o melhor mês de abril em 12 anos

Casa criada em Blumenau e montada em dois dias ganha móveis e será produzida em série

Oito cervejarias artesanais disputam espaço na Oktoberfest Blumenau 2022

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas