nsc
nsc

No escuro

Quase 27 mil unidades consumidoras do Vale continuam sem energia dois dias após passagem do ciclone

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
02/07/2020 - 12h45 - Atualizada em: 02/07/2020 - 12h50
Queda de poste
Em locais com mais ocorrências de queda de postes, energia deve levar mais tempo para voltar (Foto: Patrick Rodrigues)

Dois dias depois da passagem do ciclone que provocou estragos e destruição em todas as regiões de Santa Catarina, 26,6 mil unidades consumidoras no Vale do Itajaí continuavam sem energia elétrica no início da tarde desta quinta-feira (2).

Na região, o cenário mais crítico é em Doutor Pedrinho. Das 1.501 unidades consumidoras da cidade, 1.135, o equivalente a 75,6%, estavam sem luz na atualização das 13h12min da Celesc. Em Apiúna, 3.346 unidades, o equivalente a 74,9% de todo o município, permanecia sem energia neste horário. Em Luiz Alves, 3.586 unidades, o equivalente a 71,3% do total, seguia no escuro.

Nos demais municípios, a situação está sendo resolvida mais rapidamente. Em Blumenau, maior cidade da região, 9.053 unidades consumidoras ainda estavam sem energia elétrica no início da tarde. Isso representa 5,7% do total.

Segundo a Celesc, a maior parte do fornecimento deve ser reestabelecida até o fim desta quinta-feira, mas em locais mais afastados ou onde foram registradas mais ocorrências de queda de postes e torres de telecomunicações o serviço deve demorar mais tempo. Ainda de acordo com a empresa, o sistema elétrico do Estado só deve estar 100% recuperado no próximo domingo.

A passagem do ciclone chegou a deixar 1,5 milhão de unidades consumidoras catarinenses no escuro. Segundo a Celesc, este foi o maior dano já provocado na rede elétrica na história do Estado.

Veja a situação de momento (unidades sem energia e percentual do total):

Apiúna: 3.346 (74,89%)

Ascurra: 1.581 (42,5%)

Blumenau: 9.053 (5,71%)

Botuverá: 350 (12,08%)

Brusque: 715 (1,23%)   

Doutor Pedrinho: 1.135 (75,62%)   

Gaspar: 2.500 (8,88%)   

Guabiruba: 773 (8,51%)  

Ilhota: 715 (10,72%)

Indaial: 1.725 (6,35%)

Luiz Alves: 3.586 (71,35%)

Pomerode: 145 (1,11%)

Rio dos Cedros: 722 (12,63%)

Rodeio: 9 (0,16%)

Timbó: 268 (1,41%)

*Fonte: Celesc (atualização das 13h12min)

Quer receber notícias e análises de economia, negócios e o cotidiano de Blumenau e região no seu celular? Acesse o canal do blog no Telegram pelo link https://t.me/BlogPedroMachado ou procure por "Pedro Machado | NSC" dentro do aplicativo.

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas