nsc
    dc

    Tempo

    Ciclone provoca estragos e deixa ao menos 9 mortos em Santa Catarina

    Fortes rajadas de vento chegaram a atingir 134 km/h nesta terça-feira

    30/06/2020 - 16h15 - Atualizada em: 01/07/2020 - 18h46

    Compartilhe

    Pedro
    Por Pedro Machado
    Lucas
    Por Lucas Paraizo
    Por Guilherme Simon
    Estragos do vendaval
    Chapecó foi uma das cidades que registraram estragos (Foto: Prefeitura de Chapecó)
    (Foto: )

    Fortes rajadas de vento causadas pela formação de um ciclone atingiram praticamente todas as regiões de Santa Catarina na tarde desta terça-feira (30), deixando um rastro de destruição. Ao menos nove mortes foram confirmadas, e uma pessoa está desaparecida. O vendaval começou na região Oeste ainda pela manhã e avançou pelo Estado durante a tarde.

    > Ventos voltam com intensidade durante a madrugada e a manhã desta quarta-feira em Santa Catarina

    > Governador Moisés se manifesta sobre mortes por temporal em SC e pede: "fique em local seguro

    Conforme a Defesa Civil, três mortes ocorreram na cidade de Tijucas, na Grande Florianópolis. Um homem morreu em Santo Amaro da Imperatriz, e outra pessoa em Governador Celso Ramos, também na Grande Florianópolis. Uma idosa morreu em Chapecó, no Oeste. As outras mortes foram em Ilhota (1), no Vale do Itajaí, Itaiópolis (1), no Norte catarinense, e Rio dos Cedros (1), também no Vale. 

    Uma pessoa segue desaparecida em SC. Segundo a Defesa Civil, ela teria caído de uma ponte pênsil que atravessava durante o vendaval em Brusque, no Vale do Itajaí. 

    As rajadas de vento provocadas pela passagem do ciclone nesta terça chegaram a 134 km/h. A tempestade atingiu praticamente todas as regiões do Estado. Nesta quarta-feira, novas rajadas de vento seguem sendo registradas em Santa Catarina.

    Equipes de diversos órgãos do Governo do Estado atuam desde o começo da tarde desta terça para minimizar os estragos causados pelo ciclone. O trabalho reúne Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, Celesc e demais secretarias.

    Segundo o governo, mais de mil bombeiros militares, com o apoio de 380 viaturas, estão trabalhando para atender ocorrências, em especial quedas de árvores e placas. Já foram atendidas por volta de 1,6 mil ocorrências até a manhã desta quarta.

    Durante a tarde de terça, Santa Catarina chegou a ter 1,58 milhão de unidades consumidoras sem energia, 49% de todas do Estado, segundo o mapa em tempo real de fornecimento da Celesc. Por volta das 12h desta quarta, 668,6 mil unidades consumidoras seguiam sem energia elétrica em Santa Catarina. A estimativa é de que, em algumas localidades, a recuperação da rede leve até três dias.

    Colapso em galpão deixou 3 mortos em Tijucas

    As três mortes registradas na cidade de Tijucas ocorreram após o colapso de um galpão. Segundo o Corpo de Bombeiros, a estrutura, pré-moldada, tinha grande extensão e pertencia a uma empresa, e desabou por conta dos fortes ventos.

    Conforme os bombeiros, uma das vítimas foi localizada ainda na noite de terça. Os outros dois corpos foram encontrados durante madrugada desta quarta. Cães farejadores auxiliaram nas buscas. A identidade das vítimas ainda não foi divulgada.

    Ciclone em Tijucas
    Estrutura de galpão colapsou com fortes ventos, matando três pessoas em Tijucas
    (Foto: )

    Ciclone provocou danos em todas as regiões

    Segundo boletim divulgado pela Defesa Civil no começo da tarde desta quarta, foram registradas ocorrências em 101 municípios catarinenses, em 17 das 20 regionais do órgão.

    Em Chapecó, uma senhora de 78 anos morreu depois de ser atingida por uma árvore perto do aeroporto da cidade. Os ventos chegaram a atingir 108 km/h. As rajadas, acompanhadas de chuva, atingiram diversos bairros, além de algumas comunidades do interior do município, e provocaram o destelhamento de mais de 350 residências. 

    A Defesa Civil também registrou destelhamentos em Descanso, Santa Helena, São Domingos, Jaborá e Xanxerê. 

    Em Florianópolis o Corpo de Bombeiros foi acionado para ocorrências de queda de árvores no Estreito, Pantanal e Rio Tavares. No Córrego Grande, em frente ao parque municipal, uma árvore caiu em cima de uma van e um carro de passeio. O telhado de prédio foi carregado pelo vento em Jurerê. Árvores caídas bloquearam parcialmente o trânsito na SC-401 e na SC-406. No Morro das Pedras, no Sul da Ilha, uma árvore caiu sobre uma residência e um bebê ficou preso nos escombros.

    Na manhã desta quarta, a Prefeitura da Capital informou que a Estrada Geral de Ratones estava com o trânsito fechado nos dois sentidos. Equipes atuavam no local para tentar liberar as pistas.

    Ciclone em Florianópolis
    Árvores caíram sobre veículos na entrada do Parque do Córrego Grande, em Florianópolis
    (Foto: )

    Casa destruída no bairro Ratones
    Casa ficou destruída no bairro Ratones, em Florianópolis
    (Foto: )

    > Vídeo: trabalhadores ficam presos em andaime durante temporal em Balneário Camboriú

    Em Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis, um homem morreu após ser atingido pela fiação da rede elétrica. Uma árvore havia caído sobre o poste e derrubado os fios. 

    A cidade de Governador Celso Ramos, na mesma região, também foi fortemente atingida. Uma pessoa morreu no município. Ainda na terça, o prefeito Juliano Duarte Campos decretou situação de calamidade pública em função do temporal. Com a medida, ficam dispensados de licitação os contratos de aquisição de materiais, serviços e obras relacionadas a recuperação dos danos causados na cidade.

    Em Joaçaba, a força do vendaval derrubou o cajado de Frei Bruno, peça que fica junto à Estátua no Monumento, no bairro Flor da Serra.

    Cajado
    Em Joaçaba, força do vento derrubou o cajado de Frei Breno
    (Foto: )

    Em Lages, na Serra catarinense, os ventos chegaram a 130 km/h. Foram atendidas mais de 300 ocorrências pela Defesa Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, em 64 bairros.

    Em Concórdia, segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), a queda de árvores bloqueou parcialmente o trânsito na rodovia SC-283. Conforme a prefeitura, 15 unidades escolares e dois centros de convivência tiveram destelhamentos. Cerca de 180 cassas ficaram destelhadas.

    As rajadas de vento também provocaram estragos em cidades do Vale do Itajaí. Em Blumenau, arvores caídas bloqueiam parcialmente uma série de ruas e rodovias e casas ficaram destelhadas em vários bairros. No Centro, uma árvore caiu na Rua XV de Novembro, e na Itoupava Norte o vento derrubou a cobertura de um posto de combustíveis na Rua 2 de Setembro.

    Em Ilhota, um homem de 59 anos morreu após a queda de um muro. Em Idaial, os ventos chegaram a 121 km/h, conforme informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) repassadas pela Defesa Civil do Estado.

    Vendaval em SC
    Em Blumenau, vento derrubou o vento derrubou a cobertura de um posto de combustíveis no bairro Itoupava Norte
    (Foto: )

    No Norte, entre Joinville e Campo Alegre, árvores caíram na Serra Dona Francisca, a SC-418. Os km 27 e 32 ficaram interditados. Uma mulher de 37 anos morreu após uma árvore cair sobre o carro em que ela estava em Itaiópolis.

    Em Joinville, houve queda de árvores nos bairros Santo Antônio, Atiradores, Nova Brasília, Fátima e Morro do Meio. A Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (Sama) atendeu cerca de 30 ocorrências para retirada de árvores ainda na noite de terça-feira. Na manhã desta quarta, equipes continuavam trabalhando na limpeza das vias.

    Em Canoinhas, houve queda de árvores e destelhamentos de casas após o vendaval, que teve seu pico às 15h. Houve quedas de árvores e destelhamentos. 

    No Litoral catarinense o vendaval também deixou estragos. Em Itajaí os bombeiros foram acionados para ocorrências de destelhamentos e quedas de árvores, assim como em Balneário Camboriú.

    Ainda em Balneário Camboriú, um vídeo mostrou o momento em que operários ficaram presos em um andaime suspenso durante o vendaval. Outro vídeo feito por moradores mostrou o momento de uma explosão na rede elétrica ocorrida em meio ao temporal

    No Sul do Estado, o Corpo de Bombeiros registrou quedas de árvores e postes em Criciúma, Treviso, Tubarão, São Ludgero, Braço do Norte e Imbituba. Em Tubarão casas e carros foram atingidos por árvores que caíram.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas