nsc
nsc

CICLONE

Formação de ciclone provoca vento muito forte em Santa Catarina

Compartilhe

Puchalski
Por Puchalski
30/06/2020 - 10h35 - Atualizada em: 01/07/2020 - 05h59

Uma animação das imagens de satélite na manhã de terça-feira (30) já mostrava o processo de formação do ciclone, que atingiria várias regiões do Estado durante o dia. Observem o aumento de nuvens em direção a Santa Catarina:

 Imagem de satélite
Imagem de satélite
(Foto: )

Nesse processo de formação, houve rajadas bem fortes no Oeste. Ao longo da manhã já tivemos:

134 km/h em Sideropolis

126 km/h em Urupema

121 km/h em Indaial

120 km/h em Joinville e Bom Jardim da Serra

119 kmh em Florianópolis

117 km/h em Balneário Barra do Sul

111 km/h em Tangará

109 km/h Antonio Carlos, Major Vieira e Rancho Queimado

108 km/h em Chapecó

100 km/h em Campo Belo do Sul

98 km/h em Água Doce

90 km/h em Xanxerê,

88 km/h em Concórdia,

87 km/h em Campos Novos

82 km/h em Joaçaba

79 km/h em Caibi

77 km/h em Joaçaba e Videira

76 km/h Ponte Serrada

69 km/h em São Joaquim

62 km/h em Lages

Dentro do processo de formação do ciclone tivemos uma linha de instabilidade que uma das imagens de radar mostrou. É essa linha em vermelho de Sul a Norte que avançou do Meio Oeste ao Litoral muito rapidamente provocando fortes temporais, sobretudo à tarde, em diversas regiões, como Grande Florianópolis, Vale do Itajaí e Norte.

Linha de instabilidade
Linha de instabilidade
(Foto: )

ESTRAGOS DESDE A MANHÃ

A Defesa Civil registrou os primeiros destalhamentos em Descanso - região do tornado do início do mês -, Santa Helena, São Domingos, Jaborá e Xanxerê. Em Chapecó, a queda de uma árvore provocou uma morte.

Destalhamento em Joborá
Destalhamento em Joborá
(Foto: )
Concórdia
Concórdia
(Foto: )

Ao longo da tarde, os ventos fortes provocaram destelhamentos e quedas de árvores em outras regiões, bloqueios em rodovias e falta de luz, que chegou a atingir metade das unidades atendidas pela Celesc. Mais duas mortes foram registradas, desta vez na Grande Florianópolis.

VAI CONTINUAR

O vento está diminuindo no início da noite, mas deverá voltar com intensidade entre a madrugada e a manhã desta quarta-feira (1). Enquanto o ciclone se desloca para o mar, o vento acalma. Porém, formado no mar pela sua forte intensidade e proximidade da costa, irá trazer fortes rajadas de vento no Sul, Serra, Litoral, Vale do Itajaí e Norte. Rajadas de 70 a 90 km/h ainda são esperadas.

Ciclone
Ciclone
(Foto: )

Gradativamente, no final da tarde em direção à noite e à madrugada de quinta, o ciclone se afasta e o vento vai acalmando.

Leandro Puchalski

Colunista

Puchalski

Leandro Puchalski é o meteorologista da NSC Comunicação. Explica como os fenômenos climáticos impactam na vida dos catarinenses.

siga Puchalski

Leandro Puchalski

Colunista

Puchalski

Leandro Puchalski é o meteorologista da NSC Comunicação. Explica como os fenômenos climáticos impactam na vida dos catarinenses.

siga Puchalski

Mais colunistas

    Mais colunistas