nsc
    an

    CICLONE

    Joinville registrou ventos de 120 km por hora durante tempestade

    Quase 100 mil imóveis ficaram sem energia elétrica na noite desta terça-feira

    30/06/2020 - 16h31 - Atualizada em: 01/07/2020 - 06h48

    Compartilhe

    Cláudia
    Por Cláudia Morriesen
    foto mostra telhas de zinco que voaram na fiação
    Entre os estragos está o destelhamento de um imóvel na rua Suburbana, no Fátima
    (Foto: )

    A passagem de um ciclone provocou tempestade e vendaval em Joinville na tarde de terça-feira (30). Houve várias ocorrências de destelhamentos e de quedas de árvores em toda a cidade. Segundo a Defesa Civil de Joinville, as rajadas de vento chegaram a 120 quilômetros por hora. Às 17h20, 93.665 imóveis estavam sem energia elétrica em Joinville, segundo a Celesc - na manhã de quarta-feira (1) ainda eram 23,5 mil unidades. A situação ocorre em todo o Estado de Santa Catarina.

    foto mostra árvores que caiu totalmente, até com as raízes de fora
    Árvore foi arrancada do solo no bairro Nova Brasília, em Joinville, com a força do vento
    (Foto: )

    Na rua Prudente de Moraes, uma árvore caiu e interditou totalmente a via, no bairro Santo Antônio. Na rua Visconde de Taunay, no bairro Atiradores, uma árvore caiu e deixou a via em meia pista.

    No bairro Nova Brasília, também houve ocorrência de queda de árvores e uma antena de rádio, com aproximadamente 20 metros de altura, caiu sobre o telhado de uma casa vizinha. Por causa dos riscos, o morador foi orientado pelos agentes da Defesa Civil a deixar o local. Ele está abrigado na casa de familiares.

    Antena caiu sobre as casas no bairro Nova Brasília
    Antena caiu sobre as casas no bairro Nova Brasília
    (Foto: )

    No Fátima, as telhas de uma casa voaram e atingiram a fiação elétrica. No bairro Morro do Meio, uma antena voou e caiu em cima de um telhado e uma pessoa ficou desalojada. No bairro Santa Catarina, na rua Jasmin, a força do vento derrubou a parede de um galpão. Uma pessoa que estava no local foi atingida pelos destroço e teve ferimentos na perna, com suspeitas de fratura. A vítima foi encaminhada para o Hospital São José. A Defesa Civil interditou o imóvel.

    Nos prédios públicos da Prefeitura de Joinville foram registrados destelhamentos na Estação da Memória e no terminal de ônibus do Iririú. Também houve pequenos danos em algumas Unidades Básicas de Saúde, escolas e Centros de Educação Infantil. Não houve registro de feridos.

    A Defesa Civil atendeu cerca de 15 ocorrências, sendo a maioria de destelhamento. Foram doadas lonas para os moradores. A equipe da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (Sama) foi acionada para fazer o recolhimento das árvores que interromperam o trânsito, como nas ruas Rio Grande do Sul, Prudente de Moraes, Hermann August Lepper, Monsenhor Gercino. Até por volta das 20 horas a equipe da Sama havia atendido mais de 30 ocorrências de retirada de árvores. O Corpo de Bombeiros Voluntários também atuou nas ocorrências. A Celesc trabalha no restabelecimento da energia.

    foto mostra casa destelhada
    No bairro Guilherme, as telhas de uma casa voaram para outro terreno
    (Foto: )

    Na SC-418, dois trechos da Serra Dona Francisca foram interditados após quedas de árvores nos km 27 e 32. A Polícia Militar Rodoviária realizavam o corte das árvores para reabrir a pista. A BR-280, em Araquari, também foi interditada.

    No Planalto Norte, também houve registros de imóveis, carros e fiação elétrica atingida por árvores e telhas. No Oeste, uma idosa morreu após ser atingida por uma árvore. 

    Os Bombeiros MIlitares da região Norte e Santa Catarina informou que está prestando toda a assistência às cidades de sua cobertura e que, às 17 horas, as rajadas fortes de vento já haviam passado. Por enquanto, não há registro de ocorrências graves na região. 

    A tempestade foi causada pela chegada de uma massa de ar frio na região, associada a um ciclone extratropical no litoral do Rio Grande do Sul, causou esta situação no Estado. Os fenômenos também devem causar maré meteorológica, mas como a maré astronômica estará baixa e não há previsão de grandes volumes de chuva, não são esperadas grandes ocorrências de alagamentos.

    Em caso de emergência, o Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville (193) ou a Defesa Civil (199) podem ser acionados. Proteja-se em local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. 

    Registrou estragos na sua região? Mande fotos e vídeos para claudia.morriesen@somosnsc.com.br

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas