A passagem de um ciclone provocou tempestade e vendaval em Joinville na tarde de terça-feira (30). Houve várias ocorrências de destelhamentos e de quedas de árvores em toda a cidade. Segundo a Defesa Civil de Joinville, as rajadas de vento chegaram a 120 quilômetros por hora. Às 17h20, 93.665 imóveis estavam sem energia elétrica em Joinville, segundo a Celesc – na manhã de quarta-feira (1) ainda eram 23,5 mil unidades. A situação ocorre em todo o Estado de Santa Catarina.

Continua depois da publicidade

foto mostra árvores que caiu totalmente, até com as raízes de fora
Árvore foi arrancada do solo no bairro Nova Brasília, em Joinville, com a força do vento (Foto: Arquivo Pessoal)

Na rua Prudente de Moraes, uma árvore caiu e interditou totalmente a via, no bairro Santo Antônio. Na rua Visconde de Taunay, no bairro Atiradores, uma árvore caiu e deixou a via em meia pista.

No bairro Nova Brasília, também houve ocorrência de queda de árvores e uma antena de rádio, com aproximadamente 20 metros de altura, caiu sobre o telhado de uma casa vizinha. Por causa dos riscos, o morador foi orientado pelos agentes da Defesa Civil a deixar o local. Ele está abrigado na casa de familiares.

Antena caiu sobre as casas no bairro Nova Brasília
Antena caiu sobre as casas no bairro Nova Brasília (Foto: Defesa Civil, Divulgação)

No Fátima, as telhas de uma casa voaram e atingiram a fiação elétrica. No bairro Morro do Meio, uma antena voou e caiu em cima de um telhado e uma pessoa ficou desalojada. No bairro Santa Catarina, na rua Jasmin, a força do vento derrubou a parede de um galpão. Uma pessoa que estava no local foi atingida pelos destroço e teve ferimentos na perna, com suspeitas de fratura. A vítima foi encaminhada para o Hospital São José. A Defesa Civil interditou o imóvel.

Nos prédios públicos da Prefeitura de Joinville foram registrados destelhamentos na Estação da Memória e no terminal de ônibus do Iririú. Também houve pequenos danos em algumas Unidades Básicas de Saúde, escolas e Centros de Educação Infantil. Não houve registro de feridos.

Continua depois da publicidade

A Defesa Civil atendeu cerca de 15 ocorrências, sendo a maioria de destelhamento. Foram doadas lonas para os moradores. A equipe da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (Sama) foi acionada para fazer o recolhimento das árvores que interromperam o trânsito, como nas ruas Rio Grande do Sul, Prudente de Moraes, Hermann August Lepper, Monsenhor Gercino. Até por volta das 20 horas a equipe da Sama havia atendido mais de 30 ocorrências de retirada de árvores. O Corpo de Bombeiros Voluntários também atuou nas ocorrências. A Celesc trabalha no restabelecimento da energia.

foto mostra casa destelhada
No bairro Guilherme, as telhas de uma casa voaram para outro terreno (Foto: Jakeline Emer/ Arquivo Pessoal)

Na SC-418, dois trechos da Serra Dona Francisca foram interditados após quedas de árvores nos km 27 e 32. A Polícia Militar Rodoviária realizavam o corte das árvores para reabrir a pista. A BR-280, em Araquari, também foi interditada.

No Planalto Norte, também houve registros de imóveis, carros e fiação elétrica atingida por árvores e telhas. No Oeste, uma idosa morreu após ser atingida por uma árvore. 

Os Bombeiros MIlitares da região Norte e Santa Catarina informou que está prestando toda a assistência às cidades de sua cobertura e que, às 17 horas, as rajadas fortes de vento já haviam passado. Por enquanto, não há registro de ocorrências graves na região. 

Continua depois da publicidade

A tempestade foi causada pela chegada de uma massa de ar frio na região, associada a um ciclone extratropical no litoral do Rio Grande do Sul, causou esta situação no Estado. Os fenômenos também devem causar maré meteorológica, mas como a maré astronômica estará baixa e não há previsão de grandes volumes de chuva, não são esperadas grandes ocorrências de alagamentos.

Em caso de emergência, o Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville (193) ou a Defesa Civil (199) podem ser acionados. Proteja-se em local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. 

Registrou estragos na sua região? Mande fotos e vídeos para claudia.morriesen@somosnsc.com.br

Destaques do NSC Total