nsc
nsc

Frio nos EUA

Neve cobre 72% do território dos EUA em fevereiro de 2021; entenda o motivo

Compartilhe

Puchalski
Por Puchalski
16/02/2021 - 13h48 - Atualizada em: 16/02/2021 - 15h04
neve em Austin, no Texas, EUA
No Texas, estado conhecido pelo clima quente e regiões de deserto, temperaturas estão negativas e tem muita neve (Foto: Montinique Monroe / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)

O mês de fevereiro de 2021 entra para história do clima nos Estados Unidos devido a forte onda de frio que cobre boa parte do país. Além de temperaturas bem abaixo de 0°C, segundo a NOAA, 72% do país está coberto de neve neste 16 de fevereiro. 

Claro que lá nesta época estamos no inverno, mas para vocês terem ideia, em Janeiro tinhamos apenas 29% do território com neve. A figura acima mostra a extensão dessa regiao de neve. 

> Tornados, tromba d'água e nuvem funil: entenda os fenômenos registrados em SC e no RS

As cores mostram regiões dos EUA que tiveram neve: 72% do país
As cores mostram regiões dos EUA que tiveram neve: 72% do país
(Foto: )

Temperaturas muito abaixo de 0°C

Ontem tivemos tivemos essas marcas

-26,7ºC em Denver

-25,6ºC em Dodge City

-23,8ºC em Amarillo

-21,7ºC em Oklahoma City

Essas são temperaturas que não aconteciam a pelo menos três décadas nos EUA. 

neve em Austin, no Texas, EUA
Mês de fevereiro de 2021 entra para história do clima nos Estados Unidos devido a forte onda de frio que cobre boa parte do país
(Foto: )

O Texas, estado conhecido por seu clima quente e regiões de deserto, também vem passando por temperaturas negativas e neve. Segundo a previsão da meteorologia esta onda de frio poderá trazer temperaturas menores do que os - 11°C registrados em 1895.

> Nuvem cumulonimbus, que pode gerar tornados, é registrada em Mafra

neve Texas Estados Unidos
Neve em Austin, no Texas, tem dificultado a vida de quem anda de carro
(Foto: )

O que vem provocando essa intensa onda de frio nos EUA?

Segundo os meteorologistas americanos a causa está no que chamamos de vórtice polar. Como o gráfico abaixo mostra em Janeiro tivemos um "aquecimento" numa camada da atmosfera situada a aproximadamente 7 a 50 km de altitude. 

Gráfico mostra uma elevação da temperatura na estratosfera em Janeiro na região do Polo Norte
Gráfico mostra uma elevação da temperatura na estratosfera em Janeiro na região do Polo Norte
(Foto: )

Essa elevação da temperatura nesta faixa da atmosfera fez com que tivéssimos uma mudança no vórtice polar, que é uma região de vento que "barra" as grandes massas de ar frio no polo. Com a mudança no vórtice, esta intensa massa de ar frio se deslocou do polo para os EUA indo até o México.

E o aquecimento global?

Talvez essa pergunta venha na cabeça de algumas pessoas, especialmente aquelas que ainda não aceitam o fato do planeta estar mais quente. A questão é que o aquecimento da Terra desencadeia mudanças no clima. 

Os extremos estão se intensificando. Portanto, quando tiver uma onda de calor ela será mais forte do que já foi um dia. Só que o inverso é verdadeiro. Quando ondas de frio - como essas dos EUA - acontecerem elas poderão ser mais fortes do que já vivemos. Portanto, o frio intenso que vem fazendo nos EUA e no Norte do México tem relação com aquecimento do planeta. 

Leia também

> Conheça as gêmeas que realizaram cirurgia de mudança de sexo em SC

> Casal desaparecido em Florianópolis é encontrado; dupla estava acampando e fazendo trilhas

> Tiros e barricada na SC-401 em Florianópolis foram motivados por protesto, diz polícia​

> Vídeo mostra momento em que homem cai de parapente em Penha

> Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

Leandro Puchalski

Colunista

Puchalski

Leandro Puchalski é o meteorologista da NSC Comunicação. Explica como os fenômenos climáticos impactam na vida dos catarinenses.

siga Puchalski

Leandro Puchalski

Colunista

Puchalski

Leandro Puchalski é o meteorologista da NSC Comunicação. Explica como os fenômenos climáticos impactam na vida dos catarinenses.

siga Puchalski

Mais colunistas

    Mais colunistas