nsc
    nsc

    Investigação

    Assalto a banco em Criciúma teve participação de 50 bandidos, diz polícia

    Compartilhe

    Renato
    Por Renato Igor
    11/12/2020 - 05h16 - Atualizada em: 11/12/2020 - 05h54
    Funcionários da sinalização de trânsito foram feitos reféns e usados como escudo humano
    Funcionários da sinalização de trânsito foram feitos reféns e usados como escudo humano (Foto: Arquivo pessoal)

    O assalto à agência do Banco do Brasil no dia 30 de novembro em Criciúma teve a participação de 50 bandidos. A afirmação é do delegado de polícia Luís Felipe Fuentes, diretor da Deic (Diretoria Estadual de Investigações Criminais). Até então, estimava-se que 30 bandidos haviam participado da ação. Mas no total, somando os que atuaram na logística e na preparação do roubo, o número de marginais chega a 50.

    > Tiroteio, reféns e explosões: uma noite de terror em Criciúma

    Dos 14 que já foram presos, nem todos atuaram naquela noite em Criciúma. 

    — Alguns dos que nós prendemos não estavam em Criciúma no dia do crime, mas participaram da preparação do ato — explica o delegado Fuentes.

    Facção

    O diretor da Deic descarta totalmente a participação de uma facção criminosa de São Paulo no assalto. 

    — O que tem é a participação de uma pessoa que possui vínculos com esta facção. Mas o assalto não foi patrocinado por ela. Está totalmente descartada a hipótese de que o assalto foi realizado pela facção — diz Fuentes.

    Estima-se em R$ 80 milhões a quantia roubada. A Polícia recuperou até o momento cerca de R$1 milhão.

    > Como e por que Santa Catarina virou alvo de grandes crimes

    Ouça a entrevista com o delegado Luís Felipe Fuentes:

    Leia mais:

    "Policial fora da curva e pai exemplar", diz colega sobre PM baleado em assalto

    Testemunhas relatam o pânico durante o maior assalto a banco da história de SC

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas