nsc
dc

BALEADO EM CONFRONTO

"Um policial fora da curva e um pai exemplar", diz colega sobre PM baleado em assalto em Criciúma

Jeferson Luiz Esmeraldino foi atingido por um tiro de fuzil em confronto com os bandidos; ele segue hospitalizado

05/12/2020 - 17h14 - Atualizada em: 05/12/2020 - 20h00

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
Jeferson Luiz Esmeraldino tem 32 anos foi atingido durante confronto com bandidos
Jeferson Luiz Esmeraldino tem 32 anos foi atingido durante confronto com bandidos
(Foto: )

Um urso de pelúcia para quase todos os fins de expediente. Era em frente a uma máquina de pescar brinquedos que o policial militar Jeferson Luiz Esmeraldino dava por concluído o turno de trabalho. Tinha sorte. Na maioria das vezes conseguia pegar um ursinho novo para presentear a filha de 5 anos, responsável por sua alegria e por todas as decisões que toma, como contam os amigos. 

> Assalto em Criciúma: quando, onde e como os suspeitos foram presos

No último expediente do soldado, no entanto, o desfecho foi diferente: antes mesmo de encerrar o turno, o militar precisou ser levado às pressas ao hospital, após ser baleado por um tiro de fuzil durante o quase cinematográfico assalto a banco em Criciúma, no Sul de SC. Internado no Hospital São João Batista, o PM foi tirado da sedação neste sábado (5), mas ainda inspira cuidados intensivos. 

Natural de Tubarão, distante 66km da cidade onde ocorreu o assalto, Esmeraldino, 32 anos, trabalhou como técnico eletricista e vigilante de carro-forte antes de, finalmente, vestir a farda da PMSC, em 2016. 

Nesse tempo, fez formações e integrou por dois anos o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT), a unidade especializada da corporação. Há um ano passou para a Rádio Patrulha, onde estava de serviço quando a cidade foi cercada por bandidos. 

> Testemunhas do maior assalto a banco da história de SC

- O Esmeraldino é um policial fora da curva, sempre foi batalhador. Ele vive a polícia. E fora da Polícia Militar a vida se baseia na filha, uma garota adorável, e que é tudo na vida dele. Todas as decisões são baseadas nela, para o bem dela - faz questão de frisar o colega, Matheus Espindola, que trabalha ao lado de Jeferson há cerca de um ano. 

Espindola e Esmeraldino enfrentaram a quadrilha durante assalto
Espindola e Esmeraldino enfrentaram a quadrilha durante assalto
(Foto: )

Foi para Espindola, também, que Esmeraldino manifestou um forte desejo, dias atrás: 

- Ele estava tentando a transferência para a região de Tubarão para ficar mais próximo da filha, e evitar esse deslocamento de quase 130 km diários (considerando ida e volta).

Vaquinha online

Colegas de trabalho, incluindo Espindola, tiveram a ideia de criar a vaquinha online para arrecadar recursos suficientes para auxiliar na recuperação do soldado. A meta estipulada incialmente, de R$ 10 mil, ao menos, já foi batida. Até as 18h deste sábado, a campanha tinha arrecadado R$ 12.500.00. 

> Preso em Blumenau 12º suspeito de envolvimento no assalto a banco em Criciúma

> Assalto a banco em Criciúma: saiba o que é verdade e mentira sobre o crime

- Agradeço a cada um que vem colaborando, e espero que consigamos passar muito mais do que o valor estipulado inicialmente - diz Espindola.

> Novo cangaço: o que é o termo usado para ação de quadrilhas em SC

Como o Estado de Santa Catarina vai custear os gastos do hospital, a mobilização objetiva juntar recursos para pagar contas do mês, curativos, uma futura assistência que possa ser necessária, além de ajudar a família do soldado. 

- Recebi uma filmagem da filha do soldado Esmeraldino, me agradecendo por cuidar do papai dela e mandando um beijo, e isso marca nossas vidas, e faz repensar: se fosse a filha de outra pessoa? Espero que não precisemos mais arrastar ninguém atingido em confronto - conclui.

> Rádio de Criciúma recebeu ameaças durante assalto e precisou interromper transmissão

Homenagem

Na manhã do assalto, o policial militar foi homenageado pelo governador de SC, Carlos Moisés da Silva, que se solidarizou à família dele. Na ocasião, Moisés falou que Esmeraldino e seus colegas "são nossos heróis anônimos".

Colunistas