nsc
nsc

Perigo

Escolas clandestinas avançam em SC, afirma sindicato

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
23/07/2021 - 10h00
Sinepe denuncia avanço das creches clandestinos
Sinepe denuncia avanço das creches clandestinos (Foto: Patrick Rodrigues)

As escolas clandestinas avançam em Santa Catarina e aproveitaram a pandemia para ampliar, ainda mais, a sua atuação. A denúncia é do Sindicato das Escolas Particulares de Santa Catarina (SINEPE/SC). O presidente da entidade, Marcelo Batista de Sousa, diz que não sabe ao certo quantas estão em atuação no Estado, mas aponta a pandemia e as restrições impostas às escolas regulares como uma das causas para o problema.

Receba as principais informações de Santa Catarina pelo Whatsapp

“As escolas clandestinas geralmente são comandadas por uma ou duas pessoas que se propõem a cuidar das crianças sem atender às mínimas exigências sanitárias, pedagógicas e de segurança. A oferta desses serviços vem sendo feita invariavelmente através das redes sociais. Normalmente ocorre numa casa ou apartamento até. É uma tia que cuida de dois sobrinhos, depois pega mais duas crianças . Enquanto ela deixa o ferro de passar roupa ligado e passa as roupas, as crianças ficam sem os devidos cuidados”, afirma.

Ele reclama que apenas as escolas regulares são fiscalizadas. As chamadas “creches clandestinas” são espaços domiciliares improvisados, também conhecidos popularmente como “cuidadorias” ou “cuida-se”.

Para o funcionamento de uma escola privada faz-se necessário atender a uma série de exigências legais e em cumprimento à própria Constituição Federal; a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9394/96); e a Lei que trata do Sistema de Ensino de Santa Catarina (Lei Complementar nº 170/98), que autorizam a oferta do ensino pela livre iniciativa, desde que obtida a autorização do órgão de regulação e atenda aos padrões de qualidade também definidos pelo Poder Público.

Com a pandemia, diversas instituições regulares ficaram impedidas de funcionar. Segundo o Sinepe, como os pais continuaram trabalhando, estes precisaram deixar seus filhos nas creches. E foi aí que, de acordo com o Sinepe, ampliou-se o espaço para atividade clandestina de escolas de educação infantil.

Leia Mais:

BR-470: disputa política não pode atrasar ainda mais a duplicação

Os bastidores do sequestro relâmpago em Florianópolis

Escola “afundando” em Florianópolis custou R$ 7,18 mi e pode ser demolida

Nevascas históricas em Santa Catarina; veja fotos e quando aconteceram

Menor temperatura de 2021 no Brasil é registrada em SC

As diferenças entre as vacinas da Pfizer, Astrazeneca e Coronavac

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Mais colunistas

    Mais colunistas