A fiscalização de lançamento irregular de esgoto, colocação de lacres em redes e utilização de robô para identificar conexões fora do padrão estão suspensas em Florianópolis através do contrato do programa Sanear. A Echoa, empresa contratada pela prefeitura, informou, a pedido da coluna, que suspendeu os trabalhos nesta quinta-feira (23).

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Em nota, disse que o Executivo Municipal está há mais de 90 dias sem fazer o pagamento e a companhia tem a receber mais de R$ 550 mil. 

“Devido a esses atrasos, tomamos a difícil decisão de paralisar temporariamente os serviços relacionados ao contrato do Sanear Floripa. Esta medida segue a previsão legal para casos de inadimplência contratual”, diz a nota. 

Praias com histórico de problemas de balneabilidade em Florianópolis:

Continua depois da publicidade

O Sanear tem um perfil de ser mais ostensivo na fiscalização, O morador é surpreendido com as equipes na porta de casa. Aí as equipes entram com o robô, máquina de fumaça e outros equipamentos avançados.

No início de janeiro, ápice da temporada, o litoral catarinense e Florianópolis foram notícia nacional pelas praias impróprias e o aumento de casos de intoxicações nos postos de saúde provocadas pela falta de saneamento. 

No Norte da Ilha, apenas as praias da Daniela, Santinho e Costa do Moçambique não apresentam pontos impróprios para o banho no começo da temporada de 2023.  Foi um vexame para todo o Brasil. O risco, agora, mesmo com mais investimentos em saneamento básico, é que isso se repita na próxima temporada. Ainda mais se a fiscalização perde força.

Prefeitura

A coluna entrou em contato com a prefeitura de Florianópolis sobre a suspensão do programa Sanear e ainda aguarda uma resposta. 

Continua depois da publicidade

Perspectiva

A Casan inaugura na próxima segunda-feira (27), a Estação de Tratamento de Esgoto dos Ingleses.  Florianópolis terá capacidade para tratar mais 5% de esgoto, passando de 67% para 72% de cobertura de população na área urbana. A meta é atingir 90% de esgoto tratado na Ilha até 2028.

Para atingir essa porcentagem, a Companhia atualmente executa obras em outras três estações. O investimento delas somado com o da ETE Ingleses é de mais de R$ 500 milhões, valores obtidos via financiamento com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) e Caixa Econômica Federal.

Das obras em andamento, a da ETE João Paulo é a que está mais avançada, com previsão de inauguração para fevereiro de 2024. Ela vai atender aos bairros João Paulo, Monte Verde, Saco Grande, Cacupé, Santo Antônio de Lisboa e Sambaqui, totalizando 25 mil habitantes e 3,6% de incremento na cobertura.

No Centro, a CASAN está fazendo a expansão do Sistema de Esgotamento Sanitário Insular. Com a ampliação, a vazão tratada da ETE Insular vai passar de de 296 L/s para 612 L/s, atendendo os bairros Itacorubi, Parque São Jorge, Jardim Anchieta, Córrego Grande e Pantanal. A nova vazão da ETE entra em operação em agosto de 2024 e as obras de rede finalizam no primeiro semestre de 2025.

Continua depois da publicidade

Leia Mais:

A história do professor que perdeu o pai e continuou a aula em SC

O que o maior evento de cidades inteligentes do mundo tem a ensinar para SC

Alesc e Governo de SC vão destinar R$ 60 milhões para atingidos pela enchente

Figueira centenária da Praça XV em Florianópolis vai ganhar voz

Destaques do NSC Total