nsc
    nsc

    Futebol

    As joinhas do Avaí

    Compartilhe

    Roberto
    Por Roberto Alves
    08/04/2021 - 18h32
    Estádio da Ressacada
    Time teve a brilhante idéia de uma busca nas equipes que formam a base do clube (Foto: Leandro Boeira/Avaí FC, Divulgação)

    Fato novo na Ressacada? Nem tanto. Há alguma novidade sim. E hoje é comum no futebol brasileiro o aparecimento de algum garoto em qualquer equipe para que a imprensa o chame de Joia. Em geral, são garotos de 17 a 20 anos que surgem de repente e logo são notados.

    > Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

    Cada qual com sua historia, porém todos em busca de um único objetivo: a fama. Alguns de origem humilde, que sabem de seu potencial, e vêem no futebol a chance de dar uma condição melhor de vida para a família.

    Mas este não é o caso, embora várias dessas histórias sejam verdadeiras. Importa o aparecimento e jovens no trabalho de base da Ressacada que começa a ser notado.

    > Avaí trabalha para recuperar jogadores lesionados visando decisão na Copa do Brasil

    De tantos problemas na formação da equipe, sem dinheiro para contratar, surge a brilhante idéia de uma busca nas equipes que formam a base do clube. O Avaí faz isso muito bem. Lá encontrou jogadores que podem ser a solução para os seus problemas.

    De Jonathan, Jô, Arthur Chaves á João Victor, Gabriel e Gustavo – passando pelos que também tiveram seu inicio no clube, como Edilson, Gabriel (na Europa), entre outros o Avaí passou a ter um verdadeiro time de joias que alguns até chamam de "dinheiro em caixa".

    > Avaí: a base resolve há muito tempo

    O momento

    Poderia voltar ao passado para elencar muitos nomes que foram formados na ressacada. Prefiro o momento e me reporto apenas a 4 ou cinco jogadores.

    Jonathan está consolidado. Jô precisa de sequência e ritmo de jogos além da confiança do técnico para colocá-los em campo.

    Agora surgiram João Victor, cuja característica de usar o lado do campo é mais que preciosa, e Gabriel, que na sua estréia foi eleito o melhor do jogo. E finalmente, Gustavo, que saiu do banco para dar a vitoria ao Avaí contra o Joinville.

    Ouça o Debate Diário: a projeção para Avaí x Joinville e o doping de Vitor Caetano

    Jogadores que precisam ser lapidados mas que estão no caminho do sucesso. Tratá-los adequadamente é importante. Da mesma forma que eles precisam de um comportamento público exemplar. Priorizar a carreira profissional com todo cuidado que ela merece.

    Também é importante não vê-los neste início de carreira como craques. Poderão sê-los mas vai demandar tempo até chegarem lá.

    Enfim, o Avaí botou seu bloco Junior na rua. Apresentou-os à torcida. Estão aprovados. A sequência da carreira é fundamental. Mais do que nunca, está consagrada a frase: o futuro do futebol está na base.

    > Figueirense homenageia Lincon com placa: "O gol que Pelé não fez"

    O Figueirense

    Não é só o Avaí. Há poucos anos, este trabalho de revelação foi feito no Figueirense. O melhor exemplo é o de Roberto Firmino. Felipe Santana, que foi parar na Alemanha e já está de volta, também saiu do Scarpelli. Das melhores lembranças, chama-se Felipe Luiz, hoje no Flamengo e antes com mais de 10 anos na Europa. 

    > Figueirense apresenta o atacante Wellissol, vigésimo reforço da temporada

    Por problemas de gestão administrativa, o Figueirense deu uma parada no ano passado nas atividades da sua base. Não havia como. Mesmo assim foi remontar seu time com alguns garotos que começam a aparecer.

    Outros clubes catarinenses também tem trabalhos importantes. A Chapecoense tem revelado alguns garotos, o Hercílio Luz tem uma joinha de 21 anos chamada Wellington, centro avante puro.

    Ouça o Debate Diário: a vitória do Avaí sobre o JEC e a estreia de Gustavo

    Todos acreditando que a busca de garotos no futebol amador, levá-los para dentro do clube, trabalhar bem seu potencial é muito mais barato que certas contratações de jogadores já em fim de carreira ou pela simples razão de terem jogado num grande clube do país.

    Em maio, com dificuldades financeiras, buscando soluções através de reforços, o Avaí dá o exemplo da valorização dos garotos das categorias de base.

    É uma forma que não é barata, mas o retorno é garantido.

    > Caso Henry: entenda a prisão de Dr. Jairinho e da mãe do menino

    Próxima rodada

    O Avaí se aproximou. Já é o terceiro colocado do estadual, levando o Juventus para quarto. Com Chape e Brusque seriam os quatro primeiros para o mando de campo na próxima etapa do campeonato.

    Mas essa colocação não é definitiva. Pelo contrário, pode muito bem mudar. Do quinto ao oitavo lugar, Marcilio Dias, Joinville, Prospera e Figueirense também deverá haver mudanças. E há ainda uma disputa para o rebaixamento, onde a surpresa Criciúma se meteu e não sabe como sair. O Outro é o Metropolitano. Ainda temos na nona e décima posição o Hercílio Luz e o Concórdia, que no momento garante sua permanência na série A de 2022. A rodada deste próxima final de semana é a mais importante.

    > Catarinense à espera de tratamento usado por Paulo Gustavo morre por Covid-19

    Mais colunistas

      Mais colunistas