A lista de seis duplicações pretendidas por Joinville ainda não tem estimativa para sair do papel. As obras já contam com projetos (concluídos ou em fase final), mas a maioria não conta com licitação lançada – a exceção é a duplicação de trecho da SC-418, em Pirabeiraba, já licitada, mas sem previsão de começo dos trabalhos. Se o histórico de Joinville for levado em conta, as obras vão demorar – confira abaixo a lista de obras previstas.

Continua depois da publicidade

Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Nos últimos dez anos, Joinville teve duas duplicações, bancadas pelo governo do Estado. A avenida Santos Dumont foi ampliada entre as universidades e shopping até o aeroporto, em segmento de 6 km. Com extensão semelhante, foram duplicadas as estradas Hans Dieter Schmidt e Edgar Meister. As vias fazem o acesso ao Distrito Industrial pela BR-101.

Adriano Silva admite a dependência em relação ao governo do Estado para o início das obras. “Se o Plano 1000 for dado andamento, teremos os projetos prontos para serem executados”, afirma o prefeito de Joinville. As duplicações estão em tratativas, mas o governo do Estado só deve se posicionar em abril, após o ajuste fiscal.

Continua depois da publicidade

As duplicações pretendidas

SC-418 – Pirabeiraba
Única das duplicações já licitadas, pelo governo do Estado, a obra prevê ampliação dos 12 km entre a BR-101 e o “pé da Serra”, em Pirabeiraba. É obra de R$ 87 milhões. Mas não há previsão de autorização de início dos trabalhos, vai depender de análise do Grupo Gestor de Governo

Dona Francisca – trecho 1
A duplicação no Distrito Industrial entre a rótula da Schulz e a BR-101, com binário entre a Edmundo Doubrawa e a rua dos Franceses, chegou a ser anunciada no governo Moisés. Mas o edital não saiu e não há perspectiva de que isso possa ocorrer a curto ou médio prazos. O projeto está pronto.

Dona Francisca – trecho 2
O projeto foi contratado pela prefeitura de Joinville, com duplicação entre a Döhler, onde seria construído elevado, e a Schulz, no Distrito Industrial. Tem chances remotas de sair do papel.

Almirante Jaceguay
Prevista há meio século, a conclusão da abertura e da duplicação da Almirante Jaceguay teve projeto contratação do projeto e, neste momento, está em análise o licenciamento ambiental. A obra não saiu no passado devido ao custo das desapropriações, ainda hoje um dos entraves. Não tem previsão de licitação

Continua depois da publicidade

Santos Dumont
A duplicação do trecho restante da avenida, entre João Colin/Dona Francisca e universidades/shopping custa R$ 25 milhões, além das desapropriações. A obra ficou incompleta na década passada porque a prefeitura não teve dinheiro para a compra das áreas. O governo Adriano Silva deixou mais atraente o mecanismo de transferência de potencial construtivo, mas não se sabe ainda o impacto nas desapropriações.

Ottokar Doerffel
Um dos principais temas em infraestrutura discutidos na campanha eleitoral de 2020, a ampliação de um dos acessos à BR-101, a duplicação da Ottokar Doerffel, será realizada em etapas. A primeira delas será de 300 metros, entre as ruas Rio Grande do Sul e Porto União, uma forma de uso de R$ 4 milhões de emenda. Mas ainda que o anúncio tenha sido feito há quase um ano, a obra não tem licitação lançada.

Empréstimo de R$ 200 mi de Joinville será usado em parques lineares, além de pavimentação

O que está previsto na primeira operação consorciada de Joinville

Joinville prepara plano contra maus-tratos de animais; unidade móvel está em estudo

Empréstimo para construção da Ponte Joinville terá “reforço”

Retomada dos radares em Joinville está mais perto de começar

“Resposta” do Estado sobre obras em Joinville virá após ajuste fiscal

Destaques do NSC Total