nsc
nsc

MEDIDAS RESTRITIVAS

Novo decreto de Joinville mostra guinada e “antecipa” posição de Adriano Silva

Compartilhe

Saavedra
Por Saavedra
18/12/2020 - 15h58
No boletim de quinta-feira, Joinville contava com 176 pessoas internadas por causa do coronavírus
No boletim de quinta-feira, Joinville contava com 176 pessoas internadas por causa do coronavírus (Foto: Divulgação)

O decreto da prefeitura de Joinville publicado nesta sexta-feira marca um novo momento na definição das medidas envolvendo o coronavírus, com maior vinculação às diretrizes do governo do Estado. Mesmo que tenha sido definido ainda na administração de Udo Döhler, o posicionamento deve ser mantido no governo Adriano Silva, até porque o prefeito eleito participou das tratativas do novo decreto. Adriano entende que não há necessidade de Joinville ser mais restritiva do que governo do Estado. Em situações excepcionais, como falta de vagas em UTI, por exemplo, podem ser determinadas normas mais restritivas. As medidas do decreto desta sexta têm duração até o dia 5 de janeiro, quando serão reavaliadas.

> Joinville tem novo decreto com medidas restritivas contra o coronavírus

> Em nova matriz, pontuação piora e Joinville e região permanecem no risco “gravíssimo”

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

Nos primeiros meses da pandemia, a prefeitura de Joinville praticamente não se envolveu em tomadas de decisão envolvendo as restrições porque o governo estadual tinha o poder sobre a maioria das atividades. No momento em que o Estado começou a dar mais autonomia aos municípios, a Secretaria de Saúde de Joinville passou a ser basear em seus próprios indicadores e também, mais tarde, em inquéritos epidemiológicos.

As decisões de Joinville nem sempre acompanhavam os movimentos da matriz de risco estadual porque havia dinâmica própria de monitoramento da pandemia, a não ser, é claro, quando havia decretos estaduais suspendendo atividades, os quais eram cumpridos.

O decreto divulgado nesta sexta-feira mostra um maior alinhamento com o Estado. O funcionamento de parques aquáticos, hotéis e pousadas, a realização de feiras e outros eventos, competições esportivas, entre outras atividades, por exemplo, estão condicionadas exclusivamente às portarias e decretos estaduais, sem “interferência municipal”. O governo do Estado, por sua vez, vai manter um regramento para cada atividade conforme a classificação de risco de cada cidade.

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Mais colunistas

    Mais colunistas