nsc
nsc

Transporte coletivo

O que a prefeitura de Joinville avalia sobre futuro reajuste da passagem de ônibus

Compartilhe

Saavedra
Por Saavedra
22/11/2021 - 07h56
Com pandemia e "subsídio", tarifa do ônibus não teve reajuste em 2021
Com pandemia e "subsídio", tarifa do ônibus não teve reajuste em 2021 (Foto: Mauro Schlieck, CVJ, Divulgação)

Com índice ainda a ser definido, a passagem nos ônibus de Joinville deverá ter reajuste no início de 2022. O parâmetro deverá ser inflação. “Muito provavelmente, nós vamos ter um reajuste inflacionário, haja visto os aumentos dos insumos para o transporte público, como o combustível, o que mais impacta hoje. Infelizmente, a inflação voltou no Brasil”, alegou o prefeito Adriano Silva, em entrevista ao jornalista Luiz Verissimo (TVBE).

> Por que o subsídio para os ônibus em Joinville foi zerado

​> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

O prefeito alegou que as tratativas serão para que o aumento fique dentro da inflação. “Com essa pressão dos insumos, principalmente do aumento dos combustíveis, é praticamente impossível a gente não repassar um valor para a tarifa. Vamos trabalhar para ficar dentro da inflação”, afirmou Adriano.

As negociações com as empresas sobre o aumento devem iniciar nos próximos dias, quando as concessionárias apresentam as planilhas de custos atualizadas. No final do ano passado, até foi feita a apresentação dos dados, mas não houve concessão do reajuste, posição mantida pelo governo Adriano Silva. Ou seja, o valor da passagem é o mesmo desde fevereiro de 2020, com R$ 4,75 para a compra antecipada e R$ 4,90 na embarcada, dentro do ônibus.

As empresas até poderiam ter acionado a Justiça, afinal contam com decisão judicial de 2015 que manda a tarifa ser reajustada conforme a planilha (em 2019, houve um aumento “complementar” porque o reajuste não atendeu à planilha). No entanto, a aplicação integral dos custos iria elevar demais a tarifa por causa dos prejuízos. Seria uma passagem quase inviável para a maioria dos usuários.

Além disso, havia outras decisões judiciais, em vigor desde a ano passado, determinando o município o ressarcimento às empresas pelos prejuízos durante a pandemia. Portanto, com o “subsídio”, o aumento da tarifa não tinha urgência. Agora, a situação mudou, ainda que a previsão legal de compensação continue – no mês passado, a movimentação de passageiros cresceu e não houve necessidade de pagamento pela prefeitura. Se for aplicada a inflação dos últimos 12 meses, o reajuste ficará em torno de 10%.

> Joinville tem quase 30 mil pessoas em atraso com a segunda dose contra Covid

> Sai edital de R$ 80 milhões para complexo de educação em Joinville

> Adriano responde aos “discursos inflamados” sobre reajuste do IPTU de Joinville

> Rejane Gambin vai assumir prefeitura de Joinville por duas semanas

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Jefferson Saavedra

Colunista

Saavedra

Jefferson Saavedra traz análises e notícias exclusivas dos assuntos mais relevantes do Norte catarinense, com foco nos bastidores de todos os temas que envolvem especialmente Joinville e região, como política, segurança, mobilidade, saúde e educação.

siga Saavedra

Mais colunistas

    Mais colunistas