nsc
    nsc

    Impasse

    Prefeitura de Joinville e empresas de ônibus discordam sobre valor de prejuízo; Justiça quer informações

    Compartilhe

    Saavedra
    Por Saavedra
    14/10/2020 - 18h49 - Atualizada em: 14/10/2020 - 23h34
    Na pandemia: empresas de ônibus têm três ações com pedidos de compensação pelos prejuízos nos últimos meses
    Na pandemia: empresas de ônibus têm três ações com pedidos de compensação pelos prejuízos nos últimos meses (Foto: Divulgação)

    Com a prefeitura de Joinville e as empresas de ônibus em desacordo sobre os valores dos prejuízos do transporte coletivo com a pandemia, a Justiça determinou nesta quarta-feira à Secretaria de Infraestrutura a apresentação dos valores do custeio do sistema. A decisão da 1ª Vara da Fazenda Pública quer os dados mensais sobre os custos fixos e as despesas operacionais desde o momento da intervenção do poder público, em março. Desde então, houve decretos estaduais e municipais com suspensão ou limitação do transporte coletivo. Neste momento, por exemplo, os ônibus estão circulando com 50% da capacidade dos veículos. O prazo para a exibição das informações é de três dias.

    > Habitação e segurança pública preocupam lideranças empresariais de Joinville

    > "Candidatos a prefeito de Joinville ainda não entenderam as redes sociais", analisa cientista político

    Em liminar concedida em primeira instância e confirmada pelo Tribunal de Justiça, a prefeitura foi obrigada a fazer o reequilíbrio do contrato com as empresas por causa dos prejuízos durante a pandemia. No início da semana passada, foi repassado R$ 1,68 milhão em subsídio para as concessionárias. O montante se refere ao período entre agosto e setembro. A mesma decisão determina novos pagamentos mensais nos próximos meses, caso os prejuízos (desequilíbrio econômico-financeiro do contrato) se repitam – desde que a intervenção da administração pública se mantenha no período. O município continua recorrendo.

    Os dados a serem informados sobre o custo do sistema de transporte coletivo serão utilizados pela Justiça para solucionar o impasse entre prefeitura e empresas sobre valores. O mesmo levantamento será usado em outras duas ações, também apresentadas pelas empresas, também com pedido de compensação pelos prejuízos na pandemia, mas sem pedido de liminar.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas