nsc
    nsc

    PROJETO NA CÂMARA

    Prefeitura de Joinville quer socorrer transporte coletivo com R$ 7,5 milhões

    Compartilhe

    Saavedra
    Por Saavedra
    29/07/2020 - 16h05 - Atualizada em: 30/07/2020 - 11h44
    Nesta quarta-feira, a suspensão do transporte coletivo foi prorrogada por sete dias
    Nesta quarta-feira, a suspensão do transporte coletivo foi prorrogada por sete dias (Foto: Mauro Schlieck, arquivo pessoal)

    A prefeitura de Joinville quer repassar subvenção de R$ 7,5 milhões às empresas de ônibus. O pagamento, a ser feito em seis parcelas mensais de R$ 1,25 milhão, seria para bancar as despesas do transporte coletivo neste período de pandemia, além dos prejuízos dos período de paralisação. O prefeito Udo Döhler alega que a subvenção não cobre todas as perdas do sistema e diz esperar por ajuda do governo federal para o setor. A última parcela seria paga em dezembro. O projeto foi enviado à Câmara de Vereadores nesta quarta-feira.

    > Prefeitura de Joinville suspende ônibus por mais sete dias

    > Pedido da Defensoria Pública de lockdown em Joinville é negado na Justiça

    O transporte coletivo ficou suspenso entre março e início de junho por determinação do governo do Estado. Agora, a atual suspensão começou em 20 de julho, por decreto estadual, e nesta quarta foi prorrogada por mais sete dias pela prefeitura. No período em que o transporte esteve autorizado a funcionar, a demanda ficou em 30% da capacidade. Nesta quinta, serão retomadas as linhas para trabalhadores em saúde.

    Na justificativa da proposta, a prefeitura alega necessidade de manter o equilíbrio do contrato, uma obrigação legal. “Diante da atual pademia, houve significativa queda de usuários do sistema em virtude da necessidade do isolamento social. Além disso, há que se considerar também que a pandemia impactou na economia das empresas, gerando escassez de renda e consequentemente diminuição da utilização do sistema de transporte coletivo”.

    O prefeito Udo Döhler tem alegado que as empresas do transporte coletivo estão ameaçadas e os prejuízos para Joinville serão expressivos se o serviço deixar de ser oferecido.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas